Pub

Na altura, a paróquia começou por limitar o espaço de culto à exígua zona das abóbadas nervuradas de pedra, onde aparentemente não existia o perigo de queda da cobertura, o que causou constrangimentos na realização das celebrações e limitou o número de participantes. Mais tarde, a catedral foi mesmo encerrada por completo e as celebrações da Eucaristia tiveram de se transferir para a capela do complexo paroquial em frente ao templo gótico.

Orçadas em 350 mil euros, as obras foram apoiadas por mecenas como o empresário Vasco Pereira Coutinho ou a Fundação Aga Khan que entregou ao Ministério da Cultura uma contribuição de 100 mil euros.

Coordenada pela Direcção Regional da Cultura do Algarve, o projecto teve o apoio mecenático de várias entidades. Para além das já referidas contribuíram também a Câmara Municipal de Silves, a Entidade Regional de Turismo do Algarve e a paróquia.

Considerado pela Câmara Municipal de Silves como um dos principais “trunfos” turísticos do concelho, aquela catedral é visitada anualmente por milhares de turistas.

A primeira fase dos trabalhos contemplou a substituição das coberturas das três naves da antiga Sé, que já foi sede do Episcopado do Algarve.

O pároco local, o padre Carlos de Aquino, garante que as “obras fundamentais” estão agora concluídas, tendo sido feito também algum arranjo interior além do tecto, sobretudo no espaço litúrgico.

O sacerdote acrescentou ainda que até 2015, a segunda fase das obras contemplará o restauro dos altares laterais, a recuperação do pavimento e a substituição da instalação eléctrica, muito por causa da Sé de Silves ter aderido ao projecto da “Rota das Catedrais”, pese embora estas intervenções já não obriguem ao encerramento do templo.

O programa da reabertura da Sé de Silves tem início no dia 15 de Julho com abertura de uma exposição dedicada aos párocos de Silves, intitulada “Pastores ao serviço da Igreja”, e com a realização de uma palestra proferida pelo padre Pedro Manuel, pelas 21h no salão paroquial, sob o tema “Pastores como homens da esperança”.

No dia 16 realiza-se nova conferência, às 21h, na Biblioteca de Silves, sob o tema “Cultura como espaço de Esperança”.

No sábado, dia 17, o dia da reabertura da Sé ficará marcado pela Eucaristia presidida, às 19h, pelo Bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, com bênção do altar e do ambão. No mesmo dia, às 21h, tem lugar na Sé um concerto de música sacra.

No domingo, dia 18, a comunidade paroquial volta a celebrar a Eucaristia às 11h, seguindo-se almoço partilhado e um concerto de música sacra, às 21h, pelo coral da Filarmónica de Silves.

Samuel Mendonça

Pub