Pub

“Se não enveredássemos pela opção do Ikea ficávamos sem projeto no concelho de Loulé e eventualmente a loja não ficaria no Algarve”, declarou aos jornalistas o autarca Seruca Emídio, à margem da celebração de um contrato de cooperação assinado hoje entre a cadeia sueca Ikea e Câmara de Loulé.

Para Seruca Emídio, o investimento sueco vai "potenciar uma nova centralidade e valorização do eixo central do Algarve", assim como vai "gerar emprego", "reforçar a relação entre "Algarve e Andaluzia" e "aumentar o volume de investimento" regional e nacional.

A cadeia Ikea quer abrir no concelho de Loulé, e até 2015, uma loja e um centro comercial Inter Ikea no eixo Faro/Loulé, perto do Parque das Cidades e do Estádio Algarve.

No eixo Loulé/Quarteira estava equacionado, todavia, um projecto da Auchan, denominado "Alegro Algarve", representando um investimento de 400 milhões de investimento e quatro mil postos de trabalho direto numa área total de 40 hectares.

Ao contrário do projeto do Ikea, a intenção do grupo Auchan ainda não entrou com um pedido de licenciamento de localização junto das autoridades, confirmou hoje, em conferência de imprensa, o secretário de Estado do Comércio, Fernando Serrasqueiro.

O investimento que o grupo Ikea vai fazer em Loulé ronda os 200 milhões de euros e vai criar cerca de três mil postos de trabalho direto e indireto, declarou Kristina Johansson, a responsável pelo Ikea em Portugal, em conferência de imprensa hoje nos paços do concelho de Loulé.

“A assinatura deste contrato marca um passo muito importante para a efectivação do plano de expansão da Ikea em Portugal”, observou Kristina Johansson.

O grupo Ikea tem 280 lojas em 26 países do mundo e registou 626 milhões de euros de visitas em 2009, dando emprego a 127 mil trabalhadores em 39 cidades, informou aquele grupo.

O mercado português é estratégico para o grupo Ikea, que pretende até 2015 fazer um investimento total de 1.100 milhões de euros e criar quatro mil postos de trabalho diretos.

Apesar da crise económica e financeira, o investimento do Ikea em Portugal contempla sete lojas e um retail park, três centros comerciais, dois retail park Inter IKEA Centre Portugal e três fábricas Swedwood.

“O nosso compromisso com os portugueses é a longo prazo, como acontece em todos os países em que estamos presentes, e queremos continuar a criar oportunidades de crescimento e desenvolvimento económico e social nos locais onde abrimos as nossas lojas”, acrescentou Kristina Johansson.

Lusa

Pub