Pub

A mais recente obra do Padre Carlos de Aquino, presbítero da Diocese do Algarve, intitulada “Vida nova em Cristo”, foi publicada, no dia 27 de fevereiro, pelo Secretariado Nacional de Liturgia (SNL). Trata-se de um estudo teológico-litúrgico dos Escrutínios no Tempo da Purificação e da Iluminação.

Este tempo, que decorre no período da Quaresma, permite que os catecúmenos, ou seja, aqueles jovens ou adultos que se preparam para receber o Sacramento do Batismo, possam refletir profundamente sobre a sua Fé, «purificando e iluminando o seu coração», como explicou Carlos de Aquino, o autor, à Folha do Domingo e como se refere na introdução da obra agora editada: é importante «aprofundar a celebração ritual dos escrutínios, como o ato pelo qual Deus, por meio da Liturgia da Igreja, perscruta e sonda, purifica e ilumina penetrando no mais íntimo dos corações dos eleitos para na prova, purificar e libertar do mal, abrindo-os ao dom da vida nova que acontecerá pela fruição e participação sacramental, onde se é inserido verdadeiramente, na fonte que conduz à plena maturidade do homem novo em Cristo».

Este trabalho tem, para o autor, «uma aplicação prática e espiritual, partindo da análise das cerimónias que têm lugar durante este tempo de preparação». O sacerdote salienta que é «feito um desafio para a vida pessoal» e que «os sacramentos da iniciação cristã trazem sempre uma luz nova para a vida pessoal e comunitária», referindo, ainda, que «nesta Quaresma, infelizmente não podemos realizar os ritos, adiados pela crise pandémica que vivemos, o que empobrece, naturalmente a vida das comunidades», mas que «seria muito importante que quem realiza este percurso de preparação tivesse um acompanhamento que os ajudasse a sentir que não estão sós, fazendo-se algumas propostas mais orantes, celebrantes, em cada comunidade, para que entendam aquilo que vão efetivamente viver».
Este trabalho, fruto de um aprofundado estudo acerca do Catecumenado e da Iniciação Cristã, tema que ocupa a vida académica e de Pároco do Pe. Carlos de Aquino, será, segundo o mesmo, um «singelo contributo para a ciência litúrgica deste trabalho» e «reside na leitura e na análise conjunta dos diversos elementos que fazem parte da estrutura própria dos escrutínios e que manifestam uma notável pedagogia eclesial: a de se aprofundar e unir na vivência litúrgica e ritual as diversas dimensões próprias do percurso de iniciação à fé: a catequese, a evangelização, a formação e a celebração da fé, os grandes alicerces da construção do ser cristão». Acrescenta, ainda, que a grande motivação que o levou à publicação desta obra surgiu precisamente da «experiência pessoal e do coração sacerdotal. É uma exigência e um compromisso de missão e de serviço eclesial». Para o autor «levar os homens a viverem o mistério de Cristo e a conformar a vida com o Evangelho, partindo da própria experiência de comunhão com Ele na Liturgia é um desafio que urge e que nos parece essencial». Assim, sendo o resultado de um trabalho académico, este livro é, igualmente, resultado de uma atualização feita através da vivência do autor, enquanto Pároco e professor do Instituto Superior de Teologia de Évora. «Os sacramentos da iniciação cristã deveriam ser mais valorizados», afirma e defende, ainda, que deveria ser feita uma «valorização da dimensão do catecumenato, adaptada ao tempo de hoje, porque não estamos a fazer verdadeiramente uma iniciação cristã». «Como pároco», explica Carlos de Aquino, «que é uma dimensão onde me realizo pessoalmente, tenho uma experiência pastoral que me faz vivenciar aquilo de que trato neste livro e, naturalmente, considero que essa reflexão está sempre em aberto», sobretudo partindo de um aprofundamento teológico, que é a proposta apresentada nesta obra, para a realização de «um trabalho no âmbito de celebrações mistagógicas, ou seja, as celebrações que se realizam para a preparação dos catecúmenos e para a sua incorporação na Fé Cristã, que faz falta para a aplicação prática na vida das comunidades».

D. Manuel Neto Quintas, Bispo do Algarve, que faz a apresentação da obra, manifestando o seu agrado por esta publicação do sacerdote algarvio, considera que este é «um tema muito atual, inclusive no nosso ambiente eclesial em que cada vez mais nos deparamos com adultos que pretendem receber os sacramentos de Iniciação cristã», acrescentando que «o percurso que a leitura deste livro nos convida a percorrer, vem confirmar que não nascemos cristãos e que a fé é dom e fruto da Graça. Tornamo-nos cristãos de forma gradual e progressiva. Por isso, a vitalidade e a fecundidade da vida cristã exigem tempo e maturação».

O Padre Carlos de Aquino é presbítero da Diocese da Algarve, tendo sido ordenado em 1993. Natural de Vila Real de Santo António, é atualmente pároco de Loulé, sendo há vários anos o Responsável pelo Secretariado de Liturgia da Diocese do Algarve. Enviado para Roma em 1999, aí se licenciou em Liturgia, pelo Pontifício Ateneu de Santo Anselmo, cuja Dissertação, após revisão, foi agora publicada, na coleção Hodie e pode ser adquirido no próprio site do SNL.

Pub