Pub

O grupo de manifestantes, concentrado em frente do centro de emprego e vigiado de perto pela polícia, acabou por ser ignorado pelo governante, que desvalorizou a pequena manifestação de protesto.

"São já situações normais", disse, ao mesmo tempo que entrava no novo edifício do IEFP.

Os manifestantes, alguns dos quais desempregados, exibiam cartazes onde se liam frases como: "É preciso urgente uma política diferente" e "Acabem com as portagens na Via do Infante".

De acordo com os manifestantes, a concentração pacífica visou "mostrar a quem representa o Governo, o descontentamento generalizado da população, motivado pelas medidas de austeridade".

"Viemos aqui e iremos a todos os sítios onde forem os governantes para lhes recordar o estado em que colocaram o país, através de uma política desajustada à realidade, que só tem criado desemprego e lançado milhares de pessoas para a miséria", disse à Lusa um dos manifestantes que não quis identificar.

O secretário de Estado do Emprego, Pedro Silva Martins, inaugurou hoje as instalações do Centro de Emprego e Formação Profissional (IEFP) do Barlavento, investimento que ascendeu a 5,9 milhões de euros.

A estrutura tem uma área de intervenção nos concelhos de Aljezur, Lagoa, Lagos, Monchique, Silves, Vila do Bispo e Portimão, sendo este último o que apresenta maior densidade populacional.

A construção do complexo, composto por dois edifícios, iniciou-se em 2010, e ocupa uma área de 10.000 metros quadrados, num terreno cedido pela Câmara de Portimão, por um período de 70 anos.

Lusa

Pub