Pub

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou ontem que vai assumir as indicações da Santa Sé para a Semana Santa e o Tríduo Pascal (5-12 de abril), com suspensão das celebrações comunitárias, face à pandemia do novo coronavírus.

“Nos tempos difíceis que estamos a viver, devido à pandemia do Covid-19, a Conferência Episcopal Portuguesa reafirma as determinações expressas no Comunicado do dia 13 de março, nomeadamente a ‘suspensão da celebração comunitária da Santa Missa até ser superada a atual situação de emergência’”, indica um comunicado enviado à Agência Ecclesia.

A nota cita o novo decreto da Congregação do Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos (Santa Sé), aprovado pelo Papa para o ano de 2020, sublinhando que “a data da Páscoa, que é Coração do ano litúrgico e não uma festa como as outras, não pode ser transferida”.

A CEP determina que a “celebração dos mistérios litúrgicos do Tríduo Pascal, sem a participação física dos fiéis, aconteça no cumprimento das deliberações das autoridades civis e de saúde e segundo a real possibilidade”.

Os bispos darão indicações para que em cada Catedral e nas igrejas paroquiais, mesmo sem a participação dos fiéis, decorram as celebrações, “avisando os fiéis da hora de início que julgarem mais oportuna, de modo a que se possam unir em oração nas respetivas habitações”, com a ajuda de transmissões “em direto”.

Cada bispo diocesano tem a faculdade de adiar a Missa Crismal – habitualmente na manhã de Quinta-feira Santa – para uma data posterior.

Em cima da mesa está a “possibilidade de transferir para datas mais convenientes as expressões de piedade popular e as procissões que enriquecem os dias da Semana Santa e do Tríduo Pascal”.

Ecclesia

Pub