Pub

Este fim-de-semana foram 77 os adultos que vieram pedir à Diocese do Algarve para serem admitidos na Igreja Católica. Destes, 35 já completaram a preparação e deverão mesmo receber na próxima Páscoa os três sacramentos da iniciação cristã: batismo, confirmação (crisma) e eucaristia.

No sábado, foram 42 os que manifestaram a intenção de iniciar esse tempo de preparação – catecumenado – que os deverá levar a receber aqueles sacramentos no próximo ano. Ontem foi a vez daqueles que, tendo iniciado o catecumenado há pelo menos um ano, vieram agora expressar a sua vontade de passar à fase seguinte da preparação. Ambos os grupos, acompanhados pelos seus garantes (catequistas), encontraram-se com o bispo do Algarve em Faro, primeiramente no Seminário de São José e depois nas celebrações que tiveram lugar na Sé.

O primeiro grupo, oriundo das paróquias de Algoz – comunidade de Tunes (3), Boliqueime (3), Conceição de Tavira (1), Ferreiras (8), Lagoa (4), Loulé (5), Matriz de Portimão (4), Nossa Senhora do Amparo de Portimão (1), Olhão (2), Paderne (1), Quarteira (2), Santa Maria de Tavira (2), São Brás de Alportel (3), São Pedro de Faro (1) e Silves (2), foi admitido agora ao catecumenado pelo bispo diocesano.

Os elementos do segundo grupo, oriundos das paróquias de Albufeira (1), Boliqueime (2), Conceição de Tavira (2), Ferreiras (4), Fuseta (2), Luz de Tavira (4), Matriz de Portimão (3),
Moncarapacho (1), Nossa Senhora do Amparo de Portimão (2), Olhão (2), Santa Bárbara de Nexe (2), Santa Maria de Tavira (2), Santiago de Tavira (1), São Brás de Alportel (2) e dos vicariatos do Siroco em Olhão (1) e da Pedra Mourinha em Portimão (4), iniciaram uma nova fase do seu catecumenado (preparação para a receção dos sacramentos da iniciação cristã) – a purificação e iluminação, – deixando de ser catecúmenos (designação dos candidatos aos sacramentos da iniciação cristã) para passar a ser eleitos, ou seja, escolhidos.

Recorde-se que a Igreja tem um percurso próprio para a iniciação cristã dos adultos que começa com um período de pré-catecumenado, com a manifestação do primeiro desejo de ser batizado. Segue-se o tempo de catecumenado (iniciado no sábado pelo grupo de 42 pessoas), ligado de maneira particular à catequese, ao conhecimento da pessoa de Jesus, da Igreja e da fé cristã. Este tempo termina com o rito de eleição dos catecúmenos (celebrado ontem pelo grupo de 35 elementos) e a partir desse dia, a preocupação com os adultos já não é de ordem doutrinal, mas de ordem espiritual. São então convidados a uma caminhada mais intensa de ordem interior. Seguidamente à receção dos sacramentos da iniciação cristã, os neófitos (novos filhos) iniciam um período de mistagogia em que são inseridos na vida da Igreja.

Aos membros de ambos os grupos, o bispo do Algarve manifestou a alegria da Igreja algarvia pela sua decisão de querer entrar nela. “Cada um de vós constitui para a nossa diocese motivo de alegria, não apenas porque ides aumentar em número daqueles que a constituem, mas, sobretudo, pelo empenho que mostrais em querer seguir Jesus Cristo como seus discípulos, acedendo aos sacramentos da iniciação cristã”, afirmou ontem aos eleitos.

Aos que no sábado foram admitidos ao catecumenado, D. Manuel Quintas disse que se trata de um “período importante”. “Queremos que entendais bem o que significa ser batizado”, sustentou.

Na celebração na Sé, que ficou marcada pela entrega simbólica da Sagrada Escritura aos novos catecúmenos, acrescentou que ser cristão significa querer “ser parecido com Ele”. “Esta tarde serve para centrar agora a vossa atenção, e sobretudo o vosso coração, na pessoa de Jesus”, afirmou, explicando que se trata de “aprender a amar como Ele amou, a servir como Ele serviu porque é esse o caminho”.

Ontem destacou o “passo decisivo para o batismo” que os eleitos deram. “Esta Quaresma marca a última preparação, mais profunda e espiritual, para iniciar uma vida nova que vos incorporará definitivamente em Jesus Cristo”, afirmou, assegurando-lhes que estará “unido” a eles na vigília pascal do próximo dia 11 de abril, quando os seus párocos lhes administrarem os sacramentos da iniciação cristã.

A ambos os grupos disse que os terá “presentes de maneira particular” na sua oração até à Páscoa.

Aos dois grupos, o bispo diocesano falou sobre o sentido da Páscoa, incluindo o significado e a simbologia do período de preparação que a precede – a Quaresma – e da caminhada de iniciação cristã (catecumenado), recuperada após o Concílio Vaticano II, que explicou ter origem nos primeiros séculos do Cristianismo. Nos encontros em que participaram também os padres Flávio Martins, responsável pelo Sector da Educação da Fé dos Adultos da Diocese do Algarve, e António da Rocha, D. Manuel Quintas elucidou sobre o significado do jejum, da esmola e da partilha neste tempo litúrgico.

No sábado, os pré-catecúmenos foram recebidos à entrada da catedral. Depois dos ritos iniciais, constituídos pelo diálogo de indicação do nome, pela disposição pessoal e pela signação (sinal da cruz), o bispo do Algarve convidou os candidatos a entrar na igreja, um dos momentos mais significativos, seguindo-se a celebração da palavra.

Ontem, a celebração do rito de eleição dos catecúmenos prosseguiu com os candidatos a inscreverem em livro próprio o seu nome, gesto que confirma a sua vontade em receber os sacramentos da iniciação cristã. Os eleitos irão agora, durante os próximos domingos da Quaresma, celebrar nas suas paróquias os escrutínios e a tradição das entregas das orações do Credo e do Pai-Nosso e, na vigília pascal, a mais importante celebração para os cristãos, completarão a sua iniciação sacramental.

A Quaresma é um período de 40 dias – excetuando os domingos –, marcado por apelos ao jejum, partilha e penitência, que serve de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário dos cristãos.

Admissão ao catecumenado

Eleição de catecúmenos

Pub