Pub

"A cidade voltou à sua normalidade, com dinâmicas próprias, mas existem ainda equipamentos que estão inoperacionais, caso das piscinas municipais e do estádio do Silves", disse à Lusa Rogério Pinto, presidente da Câmara Municipal.

Segundo o presidente da autarquia, as recuperações das estruturas danificadas "têm sido definidas em termos de prioridades", apontando como exemplo "a recuperação e funcionalidade" do edifício da Câmara Municipal.

Em 16 de novembro de 2012, um tornado que assolou o Algarve provocou 13 feridos e destruiu parcialmente edifícios públicos, casas de habitação, estabelecimentos comerciais e veículos, nas cidades de Lagoa e de Silves.

Na cidade de Silves, o vento arrancou parte das coberturas dos edifícios dos Paços do Concelho, das piscinas municipais, do estádio de futebol e da Sé Catedral,

"O concurso público para as obras de reparação das piscinas municipais será lançado em breve, prevendo-se a reabertura daquele equipamento no mês de setembro", realçou o autarca.

"Em relação ao estádio de futebol do Silves, que se mantém inoperacional, estão a ser efetuados os procedimentos no sentido de garantir os fundos necessários para a concretização da obra", sublinhou Rogério Pinto.

O presidente da Câmara de Silves prevê que a recuperação dos equipamentos e edifícios danificados pelo temporal, "possa ficar concluída durante este ano, já que os mecanismos de ajuda financeira que foram disponibilizados, asseguram o financiamento integral dos prejuízos".

"Os valores foram calculados e as obras serão feitas dentro das estimativas", sublinhou.

Rogério Pinto disse, ainda, que os serviços sociais da autarquia, receberam 35 pedidos de apoio financeiro de particulares cujas habitações e veículos ficaram danificados pelo mau tempo, tendo os processos sido encaminhados para a Segurança Social para financiamento.

"Sei que os processos estão a ser tratados, alguns dos quais já estão para cabimento", concluiu o autarca.

Lusa

Pub