Pub

A proposta do pároco de Portimão aos seus paroquianos com filhos na catequese para uma pequena celebração em que possam “viver a noite da Páscoa do Senhor como família cristã”, uma vez que este ano não haverá celebrações comunitárias devido à pandemia do covid-19, foi hoje sugerida pelo Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC).

Em entrevista ao portal Educris, do SNEC, o padre Mário de Sousa destaca a proposta “muito simples”, “mas ao mesmo tempo muito significativa”, para ser celebrada “em comunidade doméstica”, embora sem eucaristia, “mas com o coração aberto à palavra e à alegria” para que a refeição pascal seja “também iluminada por uma liturgia e pela presença de Jesus no meio do seio familiar”.

“ A proposta é fazer da mesa, naquela noite, o altar da família com todo o significado que ele tem, ou seja, onde o Senhor Jesus se torna presente e onde através da sua palavra alimenta a esperança”, explica.

O sacerdote destaca a mesa como o “lugar de comunhão, de intimidade, de partilha” e de eleição de Jesus. “Jesus gostava muito de se encontrar com as pessoas à mesa”, recorda, acrescentado que se encontrava com elas “para lhes dar tempo, para as ouvir, para que elas também o ouvissem”. “Neste tempo em que não podemos participar da mesa da comunidade, no altar da eucaristia, poderíamos fazer da nossa mesa familiar o lugar de encontro de uns com os outros e de todos, da família, com o Senhor”.

Pub