Pub

Dos restantes 13 municípios, Olhão e São Brás de Alportel, ambos de maioria socialista, só dão tolerância de ponto da parte da tarde.

Com tolerância de ponto durante todo o dia ficarão os funcionários das câmaras de Vila Real de Santo António (PSD), Tavira (PS) Lagoa (PSD), Portimão (PS),Lagos (PS), Aljezur (PS), Castro Marim (PSD), Loulé (PSD), Monchique (PSD), Silves (PSD) e Vila do Bispo (PS).

Loulé (PSD), concelho onde se realiza o Carnaval mais antigo do País, com 106 anos, encabeçou os protestos contra a decisão do Governo, com o presidente da câmara, Seruca Emídio, a chamar a atenção para as “consequências muito negativas” que teria no Carnaval.

Fonte da Câmara de Loulé adiantou hoje à Lusa que no sábado, primeiro dia de festejos, a organização vendeu 11 mil bilhetes e no domingo vendeu 25 mil, números que a mesma fonte considerou “para já ao nível de 2010”, ano em que se venderam, no total, 54 mil ingressos. Cada bilhete custa dois euros.

Na passada quarta-feira, em reunião de câmara, o município de Loulé decidiu dar tolerância de ponto aos seus 1.700 funcionários.

Lusa

Pub