Pub

Na sessão solene que decorreu no Cine-teatro Louletano, a autarquia atribuiu ao sacerdote falecido a Medalha Municipal de Mérito, grau prata, explicando que aquelas distinções são concedidas “às pessoas, singulares ou coletivas, nacionais ou estrangeiras, que tenham prestado ao município de Loulé serviços considerados relevantes e excecionais, designadamente de que resultem maior renome para o concelho, maior benefício coletivo ou honra especial, podendo ainda ser concedido como homenagem póstuma”.

Também o presidente da autarquia, Seruca Emídio, considerou dever do município “prestar homenagem àqueles que se distinguiram nos mais diversos domínios da sua vida coletiva”.

A insígnia foi entregue pelo vereador da Câmara Municipal, Aníbal Moreno, a Armanda Santos Martins, irmã do homenageado.

Na cerimónia, que contou ainda com a assinatura de escrituras de habitações sociais do Bairro EX-CAR e com a assinatura do protocolo de geminação dos municípios de Loulé e Wieliczkacom (Polónia), foram igualmente agraciados Guilherme d’Oliveira Martins, Mendes Bota, Manuel Mendes Gonçalves, Renato Costa, Rugby Clube de Loulé, Associação Amigos dos Animais Abandonados de Loulé – Canil de São Francisco de Assis, Associação Wolf Valley Charity Fund, Irina Coelho, Ricardo Santos e Celina Carpinteiro.

Em representação dos homenageados, Mendes Bota, destacou que “mesmo aqueles que já desapareceram, pelas suas obras e pela sua ação valorosa, também são significados éticos para a nossa sociedade e não foram esquecidos”. “Esta cerimónia pretende fazer referenciais éticos e dar um reconhecimento público àquilo que deve merecer esse reconhecimento público”, frisou.

Também a Câmara Municipal de Faro homenageou, a título póstumo, o cónego Gilberto Soares Santos no Dia do Município, no dia 7 de setembro de 2012, atribuindo-lhe igualmente a Medalha Municipal de Mérito, grau prata.

A distinção foi na altura também recebida pela irmã do homenageado das mãos da vereadora Cristina Ferreira, justificando a autarquia o reconhecimento pelo “legado e serviços prestados à comunidade” pelo agraciado. “O exercício do ministério deste sacerdote fica indubitavelmente marcado pelo trabalho realizado não só no âmbito do Direito Canónico, mas também em prol da manutenção, recuperação e edificação do património da Igreja e dos espaços de culto, com destaque para a Sé Catedral de Faro, a igreja-mãe da diocese”, complementou o município.

Samuel Mendonça

Pub