Pub

A peça é coreografada por Olga Roriz e integra agora a programação que a CNB preparou para comemorar o centenário da apresentação da obra original, em 1913, composta por Igor Stravinski, coreografada por Vaslav Nijinsky e cuja cenografia envolveu Pablo Picasso.

"É uma obra com uma força quase selvagem, baseada no conto tradicional do sacrifício de uma jovem ao deus da primavera, que tem um lado muito primitivo, que está muito presente na música e nos movimento", explicou à Lusa a responsável pelo Teatro das Figuras, Anabela Afonso.

Na altura, a obra foi bastante polémica e mal aceite pelo público, por ultrapassar a barreira do bailado clássico, marcando a entrada do movimento modernista no mundo da dança, mas hoje, passados 100 anos, já foram feitas mais de 200 versões da peça original.

No sábado, a apresentação da peça é antecedida pela exibição da curta-metragem "La Valse", realizada por João Botelho, com coreografia de Paulo Ribeiro, música de Maurice Ravel e que conta com a participação dos bailarinos da CNB.

Os bilhetes para o espetáculo, com início marcado para as 21:30, custam 15 euros, com preços especiais para menores de 30 anos (5 euros) e para maiores de 65 (11,25 euros).

A comemoração do aniversário do teatro integra ainda a exibição da exposição "Luxo", do artista plástico Paulo Serra, que estará patente no "foyer" do teatro até 28 de setembro e cuja entrada é gratuita.

Este ano, ao contrário dos três anos anteriores, a comemoração do aniversário do teatro não será feita no espaço exterior nem terá entrada gratuita, devido a constrangimentos financeiros.

O Teatro das Figuras, inaugurado em 2005, ano em que Faro foi a capital nacional da cultura, está em vias de ser municipalizado, prevendo-se que seja absorvido em breve pela estrutura da Câmara de Faro.

Lusa

Pub