Pub

Os funcionários da empresa Oceanos – Comércio de Produtos Ultracongelados Alimentares Lda, situada na Benfarra, na EN125 (estrada nacional), próximo de Boliqueime, tinham inicialmente programado uma greve de 24 horas, mas acabaram por optar por parar duas horas.

Contudo, caso a situação não se resolva, não excluem a hipótese de avançar para uma greve de 48 horas, disse à Lusa uma das trabalhadoras da empresa, Iuliana Llupu, que afirma não receber desde setembro.

“Temos aqui trabalhadores que não recebem desde agosto. Os piores casos são os dos que não mexem com dinheiro, porque os vendedores sempre vão recebendo e descontando o salário”, precisou a trabalhadora.

As preocupações dos trabalhadores estendem-se ao alegado não pagamento da empresa à Segurança Social, há cerca de um ano e meio, o que “pode colocar em risco o recebimento de subsídio de desemprego, caso a empresa não tenha futuro”, afirmou.

A empresa mudou de mãos há cerca de quatro meses, mas, segundo os trabalhadores, a situação piorou com os atrasos nos salários.

De acordo com a trabalhadora, os funcionários da empresa têm tido dificuldades de contacto com o novo patrão, que não terá dado qualquer justificação para os atrasos dos salários.

Os 13 trabalhadores, que aderiram todos à greve, mantêm-se à porta da empresa até ao fim da paralisação.
A Lusa tentou contactar o dono da empresa, mas até ao momento não foi possível obter esclarecimentos.

Lusa
Pub