Pub

Segundo o porta-voz da empresa que gere os aeroportos portugueses, Rui Oliveira, os movimentos estão neste momento "parados" no Aeroporto de Faro, não havendo voos a partir ou a chegar desde cerca das 10:00.

A situação vai manter-se até que o estado do tempo melhore, acrescentou a mesma fonte, estimando que a normalidade possa ser retomada perto da hora de almoço.

Várias ruas das cidades de Faro e Quarteira estão também inundadas devido à forte chuva que se está a registar sobretudo naquela zona no Algarve.

Segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro, algumas das áreas mais afetadas são a baixa de Faro, a freguesia de Montenegro, a poucos quilómetros da cidade, e Quarteira, já no concelho de Loulé.

No terreno estão já elementos da Força Operacional Conjunta (Focon) dos Bombeiros de Faro, disse à Lusa o comandante, Aníbal Silveira.

A empresa municipal responsável pela gestão de águas e resíduos (Fagar) também está a tentar resolver algumas situações, acrescentou.

Por enquanto as inundações circunscrevem-se à via pública, não havendo até às 10:30 praticamente pedidos de ajudas de habitantes, sublinhou a mesma fonte.

Ainda no Aeroporto de Faro, pelo menos uma loja teve que encerrar ao público por estar a ficar inundada, contou à Lusa um funcionário.

No Fórum Algarve, centro comercial da cidade, há registo de zonas de estacionamento e circulação pública alagadas, mas nenhuma "situação preocupante".

Segundo Carlos Costa as lojas estão todas abertas e o problema está a ser resolvido pelas equipas do centro.

Lusa

Pub