Breves
Inicio | Sociedade | Três sabotagens na A22 não destruiram dados e todas as viaturas terão que pagar – EP

Três sabotagens na A22 não destruiram dados e todas as viaturas terão que pagar – EP

Fonte da empresa disse à Agência Lusa que os dez pórticos instalados nos 133 quilómetros da Via do Infante (A22- Lagos/Vila Real de Santo António) sempre estiveram a funcionar, embora reconheça ter havido danos na transmissão de dados.

“Uma coisa é a recolha de dados, que nunca foi afetada, outra muito diferente é a transmissão desses dados para os CTT e outras entidades”, explicou, sublinhando que existem formas alternativas de transmissão da informação recolhida desde que a gravação subsista na origem, o que de facto ocorreu.

A mesma fonte assegurou que já terminaram os trabalhos de reparação da sabotagem detetada no sábado junto ao nó de ligação da Via do Infante a Boliqueime numa caixa de passagem de cabos de fibra ótica entre o sistema eletrónico dos pórticos e o exterior da via.

Fonte policial disse entretanto à Lusa que as sabotagens têm sido feitas a partir do exterior da via, para dificultar a identificação das viaturas utilizadas pelos sabotadores através das câmaras instaladas na autoestrada.

A vandalização da caixa de comunicações junto ao nó de Boliqueime é a terceira ação contra as estruturas desde a introdução da cobrança de portagens, a 08 de dezembro.

No dia 13, desconhecidos incendiaram e dispararam tiros de caçadeira contra o pórtico instalado entre Algoz e Guia, provocando ferimentos ligeiros a um funcionário da concessionária Euroscut.

O incidente ocorreu dias depois de um outro, contra um pórtico de cobrança, junto ao nó de Boliqueime, que danificou uma estrutura de apoio com meios informáticos.

Lusa

Verifique também

Escola Secundária Pinheiro e Rosa, em Faro, procura bicicletas usadas para recuperar

A Escola Secundária Pinheiro e Rosa, em Faro, está à procura de bicicletas usadas, peças …