Pub

“A Entidade Regional do Turismo do Algarve (ERTA) está com problemas financeiros, porque a soma das tranches todas significa 4,87 milhões de euros, o que dá menos 1,2 milhões de euros do que é normal”, disse António Pina à Lusa, à margem da reunião extraordinária da assembleia geral do Turismo do Algarve.

Segundo António Pina, o dinheiro da ERTA para 2011 vai dar para o pagamento da estrutura, como ordenados, água, luz e dará para colocar na Associação de Turismo do Algarve (ATA) um milhão e 200 mil – “senão pomos em causa a promoção externa”, mas não dá para mais nada”.

O presidente da ERTA assumiu que a promoção interna tem de ser feita com os recursos próprios da estrutura.

“Ou é a casa que faz a promoção ou não podemos dar isso, porque não há dinheiro para pagar a ninguém de fora”, observou Pina, referindo que a questão “não é de mais dinheiro” , mas sim uma questão de “redistribuição mais equilibrada do dinheiro que este Governo, ou o próximo, alocam ao Turismo português”.

A ATA, entidade responsável pela promoção do Turismo do Algarve no estrangeiro, tem uma situação financeira “estável” e está com “saúde” pois tem “sete milhões e quatrocentos mil euros para a promoçãom externa, observou, todavia, António Pina.

O ponto único da reunião extraordinária da assembleia geral do Turismo do Algarve, marcada para hoje à tarde, era “deliberar sobre a revogação do mandato do presidente da direção”, mas ficou sem efeito, porque António Pina e o presidente cessante, Nuno Aires, cessaram o conflito e decidiram voltar a trabalhar unidos.

Lusa
Pub