Pub

"Os indicadores que nós temos são positivos em relação ao ano turístico", revelou Desidério Silva, sublinhando que há hoteleiros com expectativas de ocupação, até setembro e outubro, "muito acima daquilo que era expectável".

Aquele responsável falava hoje na apresentação do Memorando Turístico do Algarve, um documento que reúne propostas para melhorar o desempenho turístico da região e que vai ser entregue aos ministros e secretários de Estado que tutelam as áreas relacionadas com o setor.

Segundo Desidério Silva, está a assistir-se este ano a uma retoma na procura por parte dos mercados francês e alemão, que nos últimos anos tinham representado uma quebra no que respeita à emissão de turistas para o Algarve.

O presidente da Entidade Regional de Turismo do Algarve (ERTA) estimou, ainda, que a região seja também este ano mais procurada pelos espanhóis, uma vez que o contexto de crise do país pode favorecer viagens para destinos mais próximos.

Desidério Silva sublinhou que a procura poderá ser maior por parte dos turistas que residem na Galiza e Estremadura espanhola, uma vez que o acesso já se fazia antes por autoestradas com portagens, ao contrário dos turistas da Andaluzia, que agora têm de pagar para entrar no Algarve, através da Via do Infante (A22).

O Memorando Turístico do Algarve – Propostas para uma Região Sustentável agrega um conjunto de propostas assente em cinco pilares: acessibilidades aéreas, promoção turística, competitividade fiscal, produtos turísticos e modernização e eficácia do destino.

A manutenção do rali de Portugal no Algarve, as portagens na Via do Infante, o aumento do IVA no golfe e na restauração e o rejuvenescimento da marca Algarve são algumas das questões abordadas no documento.

Lusa

Pub