Inicio | Igreja | Um dos vários grupos de peregrinos da Mãe Soberana saiu de São Brás de Alportel

Um dos vários grupos de peregrinos da Mãe Soberana saiu de São Brás de Alportel

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No passado domingo várias foram as peregrinações a pé que convergiram de freguesias e concelhos vizinhos para a Festa Grande de Nossa Senhora da Piedade, popularmente evocada como Mãe Soberana, em Loulé.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Folha do Domingo foi ao encontro de um grupo de 23 peregrinos que também não se deixou intimidar pelo tempo chuvoso e saiu bem cedo de São Brás de Alportel, após a celebração de bênção matinal, presidida pelo pároco local, o padre António Farias Antunes, no adro da igreja paroquial.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Sílvia Dias, a organizadora da iniciativa, natural e residente em Faro, é peregrina habitual desta e de outras peregrinações a outros santuários portugueses como a que costuma sair de São Brás em direção a Fátima. Participou nesta mesma peregrinação a Loulé há três anos e desde então tem promovido anualmente a iniciativa sempre no contexto da Festa Grande. “Gostava que um dia se transformasse realmente numa tradição”, confessou ao Folha do Domingo, explicando que o mais determinante da peregrinação é ser uma iniciativa de caráter mariano. “A Mãe é a Mãe, seja a Mãe Soberana ou a Nossa Senhora que for”, refere.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Sílvia Dias destaca também que a principal caraterística da peregrinação é ser espontânea, sem inscrições prévias. “Temos tido sempre a bênção da chuva neste dia, o que acho que diminui um bocadinho a quantidade, mas aumenta a qualidade porque, normalmente, com a chuva só vem mesmo quem tem muita vontade de vir”, observou, explicando que a maioria dos participantes deste ano eram de São Brás de Alportel e apenas três eram de Faro.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

No domingo, os peregrinos saíram de São Brás pela Estrada Nacional 2 em direção a Alportel, para tentarem evitar outras vias com mais trânsito. Antes de Alportel cortaram à esquerda em direção a São Romão pela Estrada Nacional 270 que os levou depois até Loulé. Em São Romão fizeram a primeira paragem para abastecimento a partir do carro de apoio que os acompanhou no percurso de cerca de 14 quilómetros. À chegada a Loulé, ainda antes do meio-dia, almoçaram a merenda que cada um levou.

No domingo, para além deste grupo saíram também em direção a Loulé outros oriundos da paróquia de Boliqueime, da paróquia de Quarteira (com um grande número de participantes de crianças da catequese) e da união de freguesias de Querença, Tor e Benafim.

Verifique também

Livro “Nós, os padres”, com participação de um sacerdote algarvio, foi apresentado no Algarve

Teve anteontem início no Algarve o périplo de apresentações do livro “Nós, os padres – …