Pub

O sal tradicional e flor de sal "Marisol", produzidos pela Boer & Sibert, são na sua maioria exportados para a Europa, mas também para países como o Canadá, os Estados Unidos ou a Austrália, explicou a sócia-gerente Andrea Siebert.

A empresa, que existe há dez anos mas vai abrir uma nova unidade produtiva, foi hoje visitada pela comissão diretiva do Programa Operacional Regional do Algarve (PO Algarve 21), que cofinanciou o projeto.

Um milhão de euros é o volume de faturação anual, do qual apenas quatro por cento corresponde ao mercado nacional, acrescentou a empresária alemã, que lamenta que os portugueses ainda não tenham o hábito de consumir sal tradicional.

“Acho que uma das razões é o preço, mas quem pode investir nuns ténis ‘Nike’, numas calças de ganga ou numa ida ao cabeleireiro também pode investir na sua própria comida”, ironizou.

Segundo Andrea Siebert, tendo em conta que o consumo diário de sal não deve ultrapassar os seis gramas, o preço de um pequeno pacote de sal tradicional, que custa 1,30 euros, acaba por ser “relativo”, uma vez que pode durar entre quatro a seis meses.

Já com a flor de sal a situação é diferente. Nos últimos dois anos tem-se assistido a um crescimento da procura nacional, referiu, explicando que os portugueses já valorizam mais um produto “gourmet” que é "mundialmente apreciado".

Mesmo assim, a maioria de ambos os produtos é escoada para o estrangeiro e, no caso do sal marinho, apesar de ser vendido em algumas lojas portuguesas da especialidade e ervanárias, ainda não está nas grandes superfícies.

“Estamos a negociar com as grandes empresas, mas não é fácil porque apostam sempre mais no sal de cristal, de mesa ou purificado”, lamentou a sócia-gerente, referindo que na Alemanha, um dos maiores importadores, o produto vai sobretudo para as grandes superfícies.

Além da Alemanha, a empresa exporta também para a Dinamarca, Suécia, Suíça, França, Bélgica ou Espanha, pontualmente para alguns países do leste europeu e também para o Canadá, Estados Unidos e Austrália.

A nova unidade de transformação de sal marinho artesanal será inaugurada na quinta-feira, dia 08 de junho, data em que se assinala o Dia Mundial dos Oceanos.

Lusa

Pub