Pub

© Luís Forra/Lusa
© Luís Forra/Lusa

O Comandante Distrital de Operações de Socorro de Faro (CDOS) disse hoje que a criação da primeira Unidade Local de Formação do Algarve, em Vila Real de Santo António, colmata uma lacuna identificada após os incêndios de 2012.

O comandante Vaz Pinto destacou a importância da instalação da primeira unidade de formação no Algarve, que foi hoje formalizada com a assinatura de um protocolo, na sede da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António.

“Este protocolo vai ao encontro das necessidades sentidas na região e o comando distrital só tem que ficar satisfeito pela sua realização, que vai permitir colmatar uma situação identificada há muito tempo e cuja inexistência obrigava os bombeiros a sair da região para obterem formação específica”, afirmou o responsável da Proteção Civil no Algarve.

Vaz Pinto sublinhou que havia na região “uma lacuna na formação dos bombeiros, que precisam de formação especializada” e este ponto estava identificada desde 2012, no documento que analisava as operações realizadas no verão desse ano, durante o grande incêndio que afetou os concelhos de Tavira e São Brás de Alportel.

“Fizemos um documento estratégico que visava medidas corretivas, entre as quais a formação que é ministrada nessas unidades”, disse Vaz Pinto, sublinhando que a unidade a funcionar em Vila Real de Santo António “vai servir todos os bombeiros da região do Algarve” e “toda a formação específica vai ser lá ministrada”.

Vai ainda, acrescentou, “servir de suporte a alguma formação que se possa dar nos quartéis, evitando que os bombeiros tenham necessidade de percorrer grandes distâncias” e “minimizando custos”, uma vez que “a unidade local de formação mais próxima era no Alentejo”.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António é parceira da iniciativa com a homóloga de Monchique, concelho onde irá também ser instalada uma segunda unidade.

A iniciativa é apoiada pelos municípios de Monchique e Vila Real de Santo António, pela autarquia de Castro Marim – cujo território é também socorrido pela corporação de Vila Real de Santo António -, pela Federação dos Bombeiros do Algarve e pela Escola Nacional de Bombeiros.

A nova unidade vai permitir, segundo um comunicado do Comando distrital de Faro, apostar também “na descentralização” da formação.

“As Unidades Locais de Formação ficarão instaladas no Quartel do Corpo de Bombeiros de Vila Real de Santo António e no futuro Centro de Recursos de Proteção Civil, de Monchique, funcionando em horário laboral e pós-laboral, por forma a corresponder às demais necessidades dos Corpos de Bombeiros”, frisou o comando distital.

A formação vai incidir sobre áreas como o combate aos incêndios urbanos e industriais, a incêndios florestais, o controlo de acidentes com matérias perigosas ou a formação de chefes de equipa nas várias vertentes da intervenção operacional, referiu.

Pub