Pub

O Sistema de Reconhecimento Automático de Passageiros Identificados Documentalmente (RAPID) é o primeiro sistema de controlo de fronteiras electrónico com reconhecimento facial e sem necessidade de qualquer outro registo, sendo apenas necessário o passaporte electrónico.

Hoje foi assinada na Universidade do Algarve mais uma adenda ao protocolo de colaboração entre o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e aquele estabelecimento de ensino, ao abrigo do projecto Fronteira Electrónica.

Concebido pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e desenvolvido por uma empresa portuguesa, o RAPID foi instalado em fase experimental no Aeroporto de Faro em Abril de 2007 e começou a funcionar em pleno dois meses depois.

Vocacionado para proceder ao reconhecimento de passageiros que não pertencem ao Espaço Schengen, o RAPID está já em funcionamento nos aeroportos internacionais do País e nos aeroportos de Helsínquia, Finlândia, e Manchester, no Reino Unido.

A terceira fase de avaliação do sistema será feita pelo Laboratório Empresarial da Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT) da UAlg e deverá estar concluída em meados de Abril, disse à Lusa uma das docentes envolvidas.

Segundo Isabel Leiria, o sistema reduz significativamente o tempo de espera dos passageiros na identificação, sendo o tempo médio para atravessar a fronteira com este sistema de quinze segundos.

“Assim as pessoas não precisam de enfrentar filas e esperar que os agentes procedam à sua identificação”, disse Isabel Leiria, acrescentando que o sistema é também uma importante ferramenta para autoridades como o SEF.

Segundo disse à Lusa Edgar Beugels, da Agência Europeia de Fronteiras (Frontex), existem sistemas similares em Londres (Stansted) e Frankfurt e este ano irão também ser instalados em Madrid e Barcelona.

Pub