Pub

A Universidade do Algarve (UAlg) vai lançar um sistema partilhado de empréstimo de bicicletas, que podem ser usadas de forma gratuita e temporária por toda a comunidade académica, disse à Lusa o responsável pelo projeto.

Segundo Luís Nunes, o sistema ‘Eco Bike’ vai disponibilizar numa primeira fase um total de 100 bicicletas, que podem ser requisitadas através do preenchimento de um formulário próprio disponível no ‘site’ da universidade.

As bicicletas, disponíveis a partir de sexta-feira, são emprestadas por um período máximo de seis meses e os utilizadores podem usá-las “como se fossem suas”, embora tenham de observar algumas regras, referiu o coordenador do projeto.

A disponibilidade das bicicletas será indicada ‘online’, em tempo real, na página de Internet da universidade, mas, em caso de haver lista de espera, a primazia é dada aos bolseiros, seguidos dos estudantes, adiantou Luís Nunes.

O sistema vai ainda permitir monitorizar o estado de bem-estar do utilizador através de inquéritos periódicos, já que a ideia do projeto passa também por “perceber se o uso da bicicleta altera os hábitos de atividade física” do utilizador.

Paralelamente, está também a ser desenvolvida uma aplicação informática interativa que vai mapear as vias rodoviárias da cidade de Faro consideradas mais seguras pelos ciclistas, acrescentou.

De acordo com Luís Nunes, outro dos objetivos do projeto é envolver a sociedade civil em ações a desenvolver em ambos os ‘campi’ da universidade, que vão passar a estar abertos à população aos sábados para que usufruam do espaço em regime livre.

“Temos previstas ações para ensinar a andar de bicicleta e, também, as regras de trânsito”, referiu aquele responsável, notando que os ‘campi’ são como “pequenas cidades” com sinalização básica e que agora passaram a ter mais, com o projeto.

Assim, aos sábados entre as 09:00 e as 18:00 será possível usufruir tanto do ‘campus’ da Penha, como do ‘campus’ de Gambelas, já nos limites da cidade, já que esta “tem poucas áreas e jardins para aprender a andar de bicicleta”.

A ideia surgiu após um estudo realizado na cidade de Faro, que indicava que “64% das famílias tinham apenas uma bicicleta por agregado”, o que denota “um défice de equipamentos” e a probabilidade de muitas pessoas “não saberem andar de bicicleta”.

O pedido para usar as bicicletas, adquiridas ao abrigo do Fundo Ambiental do Ministério do Ambiente, é renovável, mas será privilegiada a rotatividade, o que significa que o pedido pode não ser renovado se as bicicletas apresentarem pouco uso.

O utilizador tem de pagar uma caução de 30 euros, devolvida após a entrega a bicicleta num estado idêntico ao que tinha quando foi entregue.

A subscrição de um seguro de acidentes pessoais é obrigatória e da responsabilidade do utilizador, que só pode usar a bicicleta dentro dos limites do distrito de Faro.

O sistema ‘Eco Bike’ é lançado na sexta-feira, às 11:00, na sala de Seminários da Reitoria da Universidade do Algarve.

Pub