Pub

Em comunicado, a comissão adianta que a iniciativa realiza-se às 18:00, junto ao Teatro Municipal de Faro, seguindo-se uma marcha até ao Fórum Algarve, ambos à entrada da cidade, prevendo-se igualmente "algumas ações surpresa pela abolição das portagens nos próximos dias".

A decisão foi tomada numa reunião realizada em Armação de Pêra, na qual foi deliberado "intensificar as ações" pela suspensão imediata das portagens na A22.

A comissão exige ainda a suspensão imediata das portagens na Via do Infante e a demissão do Governo, caso persista "na sua arrogância e teimosia".

"O primeiro-ministro, o ministro da Economia e todo o Governo faziam um grande favor aos algarvios e ao Algarve se apresentassem a sua demissão imediatamente", pode ler-se no comunicado.

De acordo com a CUVI, o fim das portagens na Via do Infante "está mais próximo do que se espera" e depende de todos "acelerar o seu fim", pelo que a comissão apela aos cidadãos a boicotarem "em massa" aquela antiga estrada Sem Custos para o Utilizador (SCUT).

Quando introduziu portagens nas antigas SCUT, a 08 de dezembro de 2011, o Governo criou um regime de isenções para residentes que deveria vigorar até 30 de junho, mas um dia antes do prazo anunciou uma prorrogação da medida por mais três meses, que termina a 30 de setembro.

Segundo a RTP, o Governo confirmou que as isenções vão mesmo terminar por haver uma norma comunitária que impede a sua revogação.

A CUVI sublinha os "enormes prejuízos" para o turismo e para as empresas que decorreram da introdução de portagens, assim como o aumento dos acidentes na EN 125, cujas obras de requalificação foram suspensas em abril.

Lusa

Pub