Pub

O porta-voz do Vaticano, Pe. Federico Lombardi, afirmou que o Vaticano tratou com “rapidez” do caso do Bispo de Trondheim (Noruega), que admitiu ter abusado sexualmente de um menor.

D. Georg Müller, de origem alemã, saiu da prelatura norueguesa em Junho de 2009, poucos meses depois de o caso ter chegado ao conhecimento das autoridades da Igreja, assegura a Santa Sé.

O Pe. Lombardi refere que o Bispo em causa abusou sexualmente de um menor, “no início dos anos 90” e que essa informação foi recebida pelos responsáveis eclesiásticos em Janeiro de 2009.

“A questão foi enfrentada e examinada com rapidez através da Nunciatura de Estocolmo, por mandato da Congregação para a Doutrina da Fé”, assinala a nota do porta-voz do Vaticano.

Em Maio do ano passado, D. Georg Müller apresentou a sua demissão, que foi “prontamente aceite” por Bento XVI, deixando a Diocese em Junho.

O Pe. Federico Lombardi revelou que o Bispo “se subemeteu a um período de terapia e já não desenvolve actividade pastoral”.

Do ponto de vista civil, assinala o director da sala de imprensa da Santa Sé, “o caso estava prescrito”, acrescentando que “a vítima, hoje maior de idade, quis sempre permanecer no anonimato, até agora”.

Nascido em Junho de 1951, D. Georg Müller foi ordenado Bispo em 1997.

Ecclesia

Pub