Pub

"É um pequeno contributo para aliviar o orçamento de muitas famílias, mas representa uma perda significativa da receita autárquica", disse à agência Lusa o presidente da autarquia, Adelino Soares.

A redução em 0,05% da taxa de IMI para prédios avaliados em 2013, que passa de 0,4% para 0,35%, representa, segundo o autarca, uma quebra na receita de cerca de 250 mil euros no próximo ano.

"São valores significativos para um concelho com a dimensão de Vila do Bispo", destacou.

"Temos menos receita, mas, de certa forma, aliviamos o orçamento de muitas famílias que será agravado com o aumento brutal de impostos previsto no Orçamento do Estado para 2013", observou.

De acordo com as deliberações da câmara e da assembleia de Vila do Bispo, as restantes taxas vão manter-se com os valores praticados este ano: os prédios urbanos não avaliados pagam 0,6% e os prédios rústicos 0,8%.

Os órgãos autárquicos aprovaram ainda a manutenção em 0,5% da taxa de participação variável do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) e a isenção da derrama.

O Orçamento do Estado para 2013 prevê que as taxas do IMI possam variar entre 0,5% e os 0,8% para os imóveis urbanos não avaliados e entre os 0,3% e os 0,5% para os avaliados.

Lusa
Pub