Pub

O congresso, ontem apresentado naquela cidade algarvia, realiza-se no âmbito das atividades do Fórum das Cidades do Iluminismo como forma de promover a importância do património histórico-cultural do Iluminismo, com o intercâmbio de experiências entre a sua rede de cidades.

“Queremos que seja um fórum de discussão alargada a universidades, empreiteiros, empresas de construção e a todos os que, direta ou indiretamente, estejam envolvidos no património urbanístico”, disse o presidente da Associação Internacional das Cidades do Iluminismo.

José Carlos Barros considera fundamental o envolvimento dos parceiros e entidades “para saber como ultrapassar os constrangimentos e olhar para as oportunidades” nos processos de requalificação.

“Pretendemos discutir e partilhar ações concretas, como as utilizadas em cidades iluministas como Havana, Porto, Lisboa, Madrid e São Luís do Maranhão (Brasil), além de cidades e entidades que integram associação”, sublinhou aquele responsável.

Ao assumir características diferentes dos anteriores – centrados na divulgação do património comum -, o oitavo encontro propõe-se ser um espaço de reflexão sobre as novas oportunidades económicas, culturais, sociais e habitacionais, num equilíbrio entre as práticas de manutenção e rentabilização.

Para José Carlos Barros, “a recuperação dos centros históricos, a sua manutenção e vivências ou a desertificação humana e económica que noutros casos apresentam colocam novos problemas e várias interrogações sobre que percursos seguir quanto à sua administração”.

A Associação Internacional de Cidades e Entidades do Fórum do Iluminismo (AiCEi) é uma associação sem fins lucrativos, que promove, em rede, a cooperação, o conhecimento e o estudo ao nível da valorização e conservação do património cultural herdado do período do “Século das Luzes”.

Desde 2001 que as cidades e entidades aderentes formam laços de cooperação e desenvolvem atividades interculturais relacionadas com o século XVIII.

São membros da AiCEi cidades europeias como Vila Real de Santo António, Madrid, Barcelona, Valência, Cartagena, San Fernando, Cádiz, Real Sítio de San Ildefonso, Ferrol, Almacelles, Oviedo e Es Castell ou, da América Latina, a cidade da Guatemala.

A inclusão das cidades de Paris, Edimburgo, S. Petersburgo e Lisboa está prevista para breve.

Lusa

Pub