Pub

D. Manuel Quintas foi recebido esta manhã pelo executivo municipal de Loulé no salão nobre dos Paços do Concelho, no âmbito da visita pastoral que está a realizar às paróquias da cidade.

“Esta tem sido uma colaboração exemplar, tanto ao nível social, como cultural. E que não tem a ver apenas com as paróquias mas com a própria diocese”, considerou o prelado.

O bispo diocesano referiu-se ainda ao papel do voluntariado como um valor fundamental nos dias que correrem. “Estávamos a caminhar para uma sociedade em que prevalecia o individualismo. Agora, o despoletar deste voluntariado pode constituir uma resposta aos problemas”, afirmou.

O presidente da Câmara reportou-se também a esta parceria “numa altura difícil e que nos tem possibilitado passar por estes momentos, sem muitas perturbações”, tomando como exemplo o Refeitório Social. Para o Seruca Emídio, a posição da Igreja tem sido alicerçada com dedicação e altruísmo, servindo de “exemplo no momento em que estamos a viver”.

Relativamente à componente cultural, o autarca falou na “ação muito importante” na preservação do património religioso. Nesse sentido, seguiu-se depois uma visita à ermida da Nossa Senhora da Conceição, considerada como uma das “joias” do património religioso algarvio.

Esta igreja, datada de finais do século XVII, encontrava-se bastante degrada em 2005, altura em que, através de uma parceria com o Instituto Superior da Polícia Judiciária e do Museu da Polícia Judiciária, foi apresentado um projeto piloto ao programa SOS Igreja Segura, que visava a sensibilização para o restauro da arte sacra e das igrejas, em que Loulé alcançou o primeiro prémio em termos nacionais.

Os trabalhos realizados, que rondaram os 500 mil euros, incidiram, fundamentalmente, na recuperação dos azulejos, do retábulo de talha dourada e no restauro das pinturas do teto, a par de intervenções ao nível da engenharia civil. “Estas obras dignificaram a ermida que é hoje um dos locais mais visitados da cidade”, evidenciou o autarca.

Em curso está também, desde 2008, um programa de restauro da arte sacra das paróquias do concelho, que tem permitido recuperar algumas peças de elevado valor, através de uma técnica municipal que está em permanência a executar este trabalho.

A grande preocupação neste momento é a reabilitação da igreja matriz de Loulé, classificada como monumento nacional, e que, segundo os responsáveis do município e da paróquia de São Clemente “carece de uma intervenção mais profunda”.

Pub