Pub

Os monumentos do Algarve com controlos de entrada registaram um total de 370 mil visitantes em 2016, mais 5,1% do que no ano anterior, anunciou ontem a Direção Regional de Cultura.

Os monumentos afetos à Direção Regional de Cultura do Algarve (DRCAlg) com controlo de entradas são a Fortaleza de Sagres (Vila do Bispo), a Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe (Raposeira), os Monumentos Megalíticos de Alcalar (Mexilhoeira Grande) e as Ruínas Romanas de Milreu (Estoi), que mantiveram em 2016 a “tendência de crescimento”, com mais 17.956 visitantes do que no ano anterior, quantificou a DRCAlg em comunicado.

A Fortaleza de Sagres é o monumento mais visitado, com 334.102 visitas e “uma variação positiva de 4,39% relativamente ao ano anterior”, enquanto as Ruínas Romanas de Milreu são o monumento com a “maior subida percentual em 2016”, alcançando “um aumento de visitantes na ordem dos 21,89%”, contabilizou ainda a mesma fonte.

“Congratulamo-nos também que os turistas, que este ano visitaram a região na sua oferta de Sol e Mar, também tenham procurado a oferta cultural da região, deixando-nos o desafio de continuar a desenvolver e a promover uma maior dinamização e valorização destes espaços para este ano”, considerou a Direção Regional de Cultura.

A DRCAlg frisou que a Fortaleza de Sagres “tem aumentado consecutivamente o número de visitantes” e registou em 2016 “o terceiro melhor dos últimos 20 anos, desde que o monumento abriu ao público em 1997”.

Em 2016, a fortaleza teve mais 14.102 visitantes do que em 2015, ano em que o número de visitas se situou nas 320.000, referiu a Direção Regional de Cultura do Algarve.

“A Direção Regional de Cultura do Algarve considera que o programa DiVaM – Dinamização e Valorização dos Monumentos do Algarve, implementado e iniciado em 2014 tem contribuído de forma importante para o renovar do interesse das comunidades pelo seu património, o que se traduziu também numa maior afluência no número dos residentes da região a estes espaços”, destacou ainda o comunicado.

O organismo que tutela a Cultura no Algarve elogiou e agradeceu “a dedicação e empenho de todos os que têm contribuído para estes resultados e para o melhor acolhimento dos visitantes nos monumentos”.

Pub