Pub

Com o tema “Bom mestre, o que devo fazer para ter em herança a vida eterna? (Mc 10,17)” a JDJ que se realiza nos dias 26 e 27 de Março, em Silves vai ser o culminar destas visitas que tiveram como objectivo a aproximação entre as paróquias e o incentivo à participação na Jornada.

De acordo com Sofia Costa, responsável pela Pastoral Juvenil naquele concelho, a Jornada deste ano “continua a apostar na noite, como momento forte de comunhão e oração, volta a ter um maior envolvimento das paróquias na Festa Jovem e vai permitir uma maior comunhão entre as paróquias”.

Alcantarilha – “Algo em conjunto e diferente na igreja”

Em Alcantarilha, onde a Cruz permaneceu de 19 a 26 de Fevereiro, a semana foi animada por uma Via Sacra onde toda a comunidade foi convidada a participar e por orações orientadas pelos jovens, pelo Grupo Bíblico e pelo Grupo “Vida Ascendente”, terminando na vigília de sexta-feira onde, segundo Daniel Carvalho, um dos responsáveis pela estadia da Cruz da JDJ em Alcantarilha “o ponto alto da celebração foi, para além do evangelho, a entrega da cruz aos jovens de Armação de Pêra, pois parecia que todos queriam tocá-la uma última vez”.

O tema central da celebração, presidida pelo padre Manuel Coelho foi “Permanecei em mim” que realçou “a importância de estarmos junto a Cristo, seguindo o seu exemplo, mas também de estar junto da Igreja, como membro activo e participativo na comunidade”.

Daniel Carvalho acrescentou ainda à Folha do Domingo, que a estadia da Cruz da JDJ, em Alcantarilha “revelou que, apesar dos jovens serem em número reduzido, o que por si só dificulta a motivação, estes conseguiram criar espírito de grupo e fazer, com alegria, algo em conjunto e diferente na igreja”.

Aquele responsável adiantou ainda que, “a organização da celebração e da semana foi levada a cabo pela equipa da direcção da catequese, falo também em nome dos restantes membros, D. Maria Teresa e D. Mericia.” e aproveitou “para agradecer à catequista Sofia Costa da paróquia de Silves que enviou algumas ideias e também à D. Vivelinda que ajudou na organização, que trouxe os cânticos Taizé, que marcaram todas as vigílias e que ensaiou várias vezes com os jovens”.

Armação de Pêra –“Vontade de dizer que acreditam em Cristo Ressuscitado”

A vigília de entrega da Cruz da JDJ a Porches pela paróquia de Armação de Pêra reuniu cerca de 130 pessoas, no passado dia 5 de Março e foi presidida pelo padre Joaquim Beato que destacou na sua homilia o facto “dos jovens também carregarem uma cruz, devendo mostrar a quem não acredita, que se torna mais fácil suportá-la quando têm fé e acreditam que Jesus os acompanha”.

O momento alto desta cerimónia desenvolveu-se “quando os jovens se colocaram em redor do Altar e fizeram a sua Acção de Graças pela semana que viveram com a Cruz na sua Paróquia, onde demonstraram uma enorme entrega, serenidade e interiorização mostrando-se motivados, participativos e com muita vontade de dizer que acreditam em Cristo Ressuscitado”, acrescentaram os responsáveis pela permanência da Cruz da JDJ em Armação de Pêra, padre Joaquim Beato, pároco de Armação de Pêra, Ana Cristina Santos, catequista responsável pela catequese e os catequistas dos 10º, 9º e 8º ano.

Durante a semana “foram desenvolvidas várias actividades: no Sábado, dia 27 de Fevereiro, foi feita uma Vigília de Oração e Adoração à Cruz, no Domingo, foi a vez do grupo de Escutas fazer a sua actividade num ofertório solene durante a celebração da Santa Missa, na Terça-feira, foi a vez dos grupos de catequese mais novos que fizeram uma pequena celebração de Adoração à Cruz, na Quinta-feira, foi levada a efeito a Adoração ao Santíssimo, muito participada pelos jovens, com uma alusão à Cruz e na Sexta, a Celebração de entrega da Cruz à paróquia de Porches, onde estiveram presentes as paróquias de Armação de Pêra, Porches, Alcantarilha e Silves”.

Porches – “Um balanço positivo”

Na passada sexta-feira, dia 12 de Março, em Porches, a Cruz da JDJ foi entregue novamente à paróquia de Silves, local onde se vai realizar a Jornada Diocesana da Juventude 2010.

Esta cerimónia foi presidida pelo padre Joaquim Beato e pautou “pela escuta da palavra e pelo silêncio, convidando os jovens ao recolhimento e ao compromisso” adiantou Corinne Ferreira, responsável pela organização da celebração.

Antes do final da vigília, todos os presentes foram convidados a ir perto da Cruz meditando no compromisso que tinham feito individualmente e em silêncio, recolher uma pequena cruz de madeira.

Segundo a responsável, “durante a semana vários grupos da paróquia foram responsáveis pela animação, tais como, os jovens, a catequese, o grupo bíblico e os idosos, sendo que o momento alto foi a recepção e a entrega da Cruz, onde se notou um nervosismo saudável nos jovens, por irem passar o testemunho daquilo que viveram.”

O padre Joaquim Beato, adiantou ainda à Folha do Domingo que “a permanência da Cruz na paróquia teve um balanço muito positivo”.

Lúcia Costa

Mais fotos da Peregrinação da Cruz da JDJ aqui

Pub