Pub

“Em dia de aniversário serão tocadas obras de célebres compositores que têm acompanhado a formação musical ao longo dos nove anos de existência da Orquestra do Algarve”, informam os músicos em comunicado de imprensa, acrescentando que o espetáculo vai decorrer no hotel Hilton As Cascatas Golf Resort, em Vilamoura.

A fechar o milésimo concerto, a Orquestra do Algarve dirigida atualmente pelo maestro Pedro Neves, elegeu o “ballet" "Pulcinella”, do russo Igor Stravinsky.

A obra, composta por 20 andamentos, estreou-se em Paris (França), em 1920, sob a batuta de Ernest Ansermet, a partir de uma encomenda de Sergei Diaghilev.

O milésimo concerto da Orquestra do Algarve vai contar com a participação de vários solistas, como o tenor Fernando Guimarães, o barítono Job Tomé e a soprano Alexandra Moura

Até fevereiro transato, o maestro titular da Orquestra do Algarve era Osvaldo Ferreira que aceitou um convite para ir dirigir uma orquestra no Brasil, afirmando, na altura, numa entrevista à Lusa, que deixava Portugal por falta de condições para trabalhar na área cultural.

“Decidi deixar o país e os cargos que desempenhava na região algarvia pelo total desinvestimento na Cultura, fora de Lisboa, por parte dos atuais responsáveis", afirmou.

Depois do concerto número mil da orquestra algarvia, os cerca de 30 músicos atuam dia 10 de julho no Castelo de Paderne (Albufeira), às 19:30, com os “allegros” das “Danças de Galanta”, de Zoltán Kodály (1882-1967), e do "ballet" "Pulcinella" de Stravinsky (1882-1971).

O concerto é uma co-produção da Orquestra do Algarve e da Direcção Regional de Cultura do Algarve, com o mecenato da Caixa Geral de Depósitos.

A 23 de julho é a vez de a Orquestra do Algarve subir a palco em Vale do Lobo, no âmbito de um concerto do programa “Allgarve”, cujo maestro vai ser Osvaldo Ferreira e no qual vai atuar a solista Sofia Escobar, com peças consagradas como o “Fantasma da Ópera", de Andrew Loyd Webber.

Lusa
Pub