Pub

Celebra-se amanhã, 30 de abril, o 25º aniversário da bênção e inauguração da igreja em honra de Nossa Senhora da Piedade, popularmente evocada como Mãe Soberana, em Loulé.

A igreja, construída junto à ermida quinhentista, foi benzida e inaugurada a 30 de abril de 1995 pelo então bispo do Algarve, D. Manuel Madureira Dias, que consagrou também naquele dia a cidade e do concelho de Loulé à Santíssima Virgem da Piedade.

Assinala-se igualmente este mês o quarto aniversário da assinatura do decreto do atual bispo do Algarve, D. Manuel Neto Quintas, que reconheceu a ermida e a igreja a ela unida como Santuário de Nossa Senhora da Piedade.

“São motivos suficientes para darmos graças e louvarmos a Deus por tantos dons que tem concedido ao povo que aqui peregrina na fé e no amor à Senhora da Piedade”, considera o pároco de Loulé, o padre Carlos de Aquino.

Amanhã, o aniversário será assinalado com a celebração de uma eucaristia de ação de graças pelas 18 horas na ermida de Nossa Senhora da Piedade com transmissão em direto pela internet. “Lembraremos particularmente neste contexto celebrativo o Reverendo Padre José Nobre Duarte, pároco impulsionador e responsável da concretização deste projeto, o bem feitor do Santuário Manuel Pedro, os arquitetos, construtores e todos os que contribuíram para a realização desta obra, assim como o povo santo de Deus que o habita, conserva e promove como património espiritual do povo cristão da cidade de Loulé”, acrescenta o prior e reitor daquele santuário.

As paróquias de Loulé propõem ainda um itinerário espiritual que “pode ser realizado na peregrinação ao Santuário, valorizando a caminhada peregrina”.

Para além disso, o pároco de Loulé propõe ainda às famílias a oração diária do rosário “ou pelo menos” de um mistério do terço, no seguimento da carta do papa a todos os fiéis para viverem de modo espiritual o mês de maio como o “mês de Maria”. “Todos os Domingos pelas 18 horas rezaremos o Terço a partir da Ermida de Nossa Senhora da Piedade”, adianta o padre Carlos de Aquino, sugerindo aos paroquianos que, no próximo mês, possam “recordar Fátima”, por exemplo, a partir de algum filme. “Em família podeis construir durante o mês o vosso Terço feito de modo criativo. Quando passar este Tempo de provação partilharemos esta vivência familiar em comunidade”, acrescenta.

O sacerdote propõe ainda uma celebração para realizar “em Família, fazendo memória da presença da Mãe de Jesus e Mãe da Igreja”. “Colocai em lugar digno a Imagem de Nossa Senhora em vossa casa onde todos a possam contemplar e rezar. As crianças mais pequeninas podem aprender a rezar a Avé Maria junto da Imagem com os pais”, sugere.

Pub