Pub

O Fogo é luz e calor

1 – Uma das propriedades básicas do fogo é a irradiação da luz.

Como seria a vida do homem sobre a terra, se não houvesse luz para iluminar os caminhos e os objectos. Poderíamos ter olhos para ver, mas se não houvesse emissão de raios luminosos que tornassem patentes ao nosso olhar as coisas materiais que existem à nossa volta, não poderíamos usufruir da beleza da natureza. E como viveríamos em constante escuridão, sem a contemplação de um rosto inocente de criança, sem o contacto com o rosto encarquilhado do velhinho, sem a variedade das cores das flores mais variegadas dos nossos jardins, sem a visão da riqueza admirável da obra humana criada através dos séculos em todas as culturas? E a luz é filha do fogo!

A luz do dia vem do fogo do sol; a luz da lua vem do reflexo da luz solar; a luz da lâmpada vem da incandescência do filamento que está no seu interior ligado à corrente; a luz de um carro vem da energia calórica acumulada na bateria. Sem fogo não há luz!

2 – Outra propriedade do fogo é a irradiação do calor. Todo o ser vivo precisa de calor para poder desenvolver-se e sobreviver. As plantas precisam de humidade, mas também carecem do calor que vem da terra e que recebem do sol; mesmo os animais, designados por «animais de sangue frio» se recolhem no seio da terra, durante o Inverno, a fim de hibernarem, encontrando desse modo o calor de que precisam para poderem resistir ao frio da superfície terrestre. E que dizer do «animal por excelência», o ser humano? Que seria ele sem o calor necessário à sua existência terrestre? O calor em excesso faz mal, mas sem o calor de uma temperatura normal, não é possível existir nas condições de vida terrena própria dos seres biologicamente quentes.

E donde vem o calor?

Vem do fogo, a sua fonte natural!

Luz e calor, imprescindíveis à vida dos humanos, muito devem ao fogo, tão celebrado pelos antigos e ao qual se atribuíam propriedades, quase transcendentes.

3 – As Escrituras referem-se ao fogo, em algumas circunstâncias muito significativas. Lembremos apenas dois ou três episódios.

Que fogo era aquele que atraiu Moisés ao alto do Sinai e se tornou para ele um verdadeiro sinal de Deus, do Deus vivo de Abraão, Isaac e Jacob? Deus, o «fogo vivo» que ardia sem se consumir, em permanente crepitação, que irradiava luz capaz de conduzir à fé; e calor, capaz de aquecer o coração (Cf.Êx.3,3-4).

Que carro de fogo era aquele no qual Elias foi arrebatado (Cf.2Reis. 2,11)?

Não seria ele o abraço de Deus que retira Elias deste mundo, abrasando-o no amor perpétuo do seu calor divino?

Que fogo será aquele de que nos fala o livro dos Actos, quando se refere à vinda do Espírito Santo sobre os Apóstolos, em dia de Pentecostes? (Cf.Act.2,3)

Não será o próprio Deus, em pessoa, na Pessoa divina do Espírito que se comunica como fogo (luz e calor) aos «Doze», para que iluminem e incendeiem o mundo? A Bíblia serve-se do fogo para nos falar de Deus e do seu Espírito Santo!

Pub