Pub

O SIGNIFICADO DO "FOGO" NA BÍBLIA

1 – O fogo é uma imagem muito usada no Antigo Testamento, para designar Deus, em pessoa, acentuando, sobretudo, a sua exclusividade como Deus da Aliança que arde em zelo de amor pelo seu povo e quer que este O adore a Ele somente.

Lemos no Livro do Deuteronómio: «O Senhor teu Deus é um fogo devorador» (Dt.4,24). O Profeta Isaías ensinou que os ímpios tremem, porque não podem permanecer em Deus, «esse fogo devorador» (Cf.Is.33,14). Sofonias, ao falar do «dia do Senhor que está perto» diz-nos, que, nesse dia, toda a terra «será devorada pelo fogo do zelo de Deus» (Cf.Sof.1,18).

Tal como o «fogo» que queima e purifica, assim Deus queima o que há em nós de imperfeito e pecaminoso e perdoa a quem se arrepende sinceramente do mal praticado.

As ofertas feitas a Deus, sobretudo os holocaustos, eram queimadas no fogo, como se Deus dissesse ao Povo que os seus pecados eram, assim, simbolicamente queimados (Cf.Lev.1,9). Perante a falta de correspondência ao amor de Deus, por parte do Povo que Ele escolhera, Deus revela o seu poder como fogo que queima e devora (Cf.Núm.11,1-2). Após a entrega da Lei por Moisés ao Povo de Israel, a voz de Deus faz-se ouvir do meio do fogo (Cf.Dt.5,22.24). O Profeta Isaías faz referência à purificação do fogo, como o oiro é purificado no crisol (Cf.Is.1,25). Em relação aos povos que combatem o Povo de Israel e não aceitam o seu Deus, Ele próprio afirma que, no fim dos tempos serão destruídos com fogo (Cf. Ez.37,18).

2 – O fogo é uma grande imagem do calor do amor que vem de Deus e pode também simbolizar o seu contrário, ou seja o ódio e a vingança destruidora que se aninha no coração dos ímpios. Mas «Deus é amor» (1Jo.4,8.16). Essa é a grande mensagem do Novo Testamento.

Neste sentido, Jesus não tendo pejo em relacionar, em muitas ocasiões, a presença do fogo com o castigo dos ímpios, no fim dos tempos, também afirmou que Ele próprio, veio do céu para lançar o fogo à terra e deseja ardentemente que ele se ateie (Cf.Lc.12,49). Certamente que este fogo que Jesus veio trazer não é um fogo de destruição e de castigo, mas o fogo do seu amor que promove a vida e comunica felicidade. Ele arrancou do seio do Pai, que é amor, veio revelar-nos esse amor em suas palavras e na sua vida, e comunicou-nos o Espírito Santo que é a comunhão de amor entre o Pai e o Filho. Este fogo a que Jesus se refere, nesta passagem de Lucas, faz lembrar a pregação de João Baptista que, ao referir-se ao seu Baptismo e ao Baptismo de Jesus, nos deixou dito que Jesus vinha baptizar no Espírito Santo e no fogo (Cf.Mt.3,11; Lc.3,16). Certamente, o «fogo» que Jesus nos deixou na terra é o amor em Pessoa, ou seja, é o Espírito Santo que se recebe no Baptismo e que foi dado aos Apóstolos, em dia de Pentecostes, na forma de «línguas de fogo».

À maneira de síntese, podemos dizer que o «fogo» é um belo símbolo de Deus e, de modo especial, figura e ícone do Espírito Santo. Vale a pena aprofundar esta simbologia. Camões cantou o amor, como «fogo que arde sem se ver»!

*Bispo Emérito do Algarve

Pub