Pub

O sinal do "Fogo"

1 – Se é verdade que quer o "ar" quer a "água" são considerados pelos antigos sábios da Grécia como elementos essenciais e primários das realidades existentes neste mundo, pelo facto de serem essenciais à vida deste planeta e também porque não são invenções nem fruto da criatividade humana, é verdade também que o "fogo" é tido, desde o tempo de Heraclito de Éfeso (504-501 a.C.), como "substância primeira do mundo".

Contrariamente à água e ao ar, o fogo podia ser produzido pelo homem, e essa foi uma das grandes invenções do espírito humano. Mas, porque este "sábio" entendia que o mundo é essencialmente um "devir", o fogo era, para ele e para a sua escola, a verdadeira expressão de um tal devir. Com efeito, o fogo, cuja mobilidade é incessante, é a verdadeira expressão do "devir" permanente.

Mas, este fogo de que nos fala Heraclito, não é propriamente visto na sua realidade física. De facto, ele perde o seu carácter corpóreo e torne-se um princípio activo, inteligente e criador. Este mundo, no dizer do sábio de Éfeso, "foi, é e será sempre eternamente um fogo vivo que com ordem regular se acende e com ordem regular se extingue". O "devir" é afinal uma saída do fogo e um regresso ao fogo.

2 – Sem nos prendermos a estes pensamentos do antigo Haraclito, não podemos deixar de reconhecer que este homem revela uma profunda intuição; e, sem querer entrar pelo caminho da simbologia, deixa-nos preciosas informações sobre os significados simbólicos deste elemento da natureza.

O fogo foi uma grande descoberta humana! O que seria a vida humana sobre a terra, se o homem não pudesse usar o fogo nas coisas mais simples da sua estada nesta terra? Como poderia afastar as feras e as serpentes, nos tempos mais remotos? Como poderia preparar as suas refeições? Como teria possibilidades de manusear o ferro e o bronze e outros metais? Isto só para dar alguns exemplos!

Mas o fogo não é uma pura invenção humana.

Ele existe no interior do planeta terra…é ver a lava saída dos vulcões!

Ele existe nos astros…tenha-se presente o fogo do sol e de outras estrelas!

Afinal, esse fogo não foi criado pelo homem! Há nele algo que transcende o próprio homem!

3 – O fogo, como elemento útil e por vezes necessário à vida terrena dos seres humanos, é de uma utilidade incomensurável. Serve para purificar os metais mais preciosos; exala o calor que aquece e dá conforto em épocas de frios mais rigorosos; emite luz capaz de iluminar os caminhos e os locais de habitação, serve para assar e cozer os alimentos e para tantas coisas mais!

Mas, tudo tem o seu reverso.

Quando o fogo é usado indevidamente ou de modo desregrado, pode causar profundos danos. Destrói a natureza, o meio ambiente e natural da vida dos seres humanos sobre esta terra; mata as próprias pessoas que se deixem invadir pela violência do seu calor.

O fogo é uma realidade cheia de simbolismo, quer como fonte de luz quer como fonte de calor. Vê-lo-emos em artigos posteriores.

Pub