Pub

O Algarve deixou de estar no final de abril em situação de seca severa, mas manteve-se na classe de seca moderada, segundo o boletim climatológico do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

No final de abril, 39% do território estava na classe de chuva fraca, 25,5% normal, 19,4% em seca fraca, 14,5% em seca moderada e 1,6% em chuva moderada.

De acordo com índice meteorológico de seca (PDSI) disponível hoje no ‘site’ do IPMA, no final de abril registou-se uma diminuição da área e da intensidade da seca meteorológica nas regiões do centro e do sul, onde já não se verificou a classe de seca severa, mantendo-se ainda a de seca moderada no Baixo Alentejo e Algarve.

No final de março, 16% do território estava em seca severa e a 30 de abril essa situação já não existia.

Segundo o IPMA, no final do mês de abril cerca de 1/3 do território estava em situação de seca meteorológica (classe seca fraca e moderada).

O instituto classifica em nove classes o índice meteorológico de seca, que varia entre “chuva extrema” e “seca extrema”.

De acordo com o IPMA, existem quatro tipos de seca: meteorológica, agrícola, hidrológica e socioeconómica.

A seca meteorológica está diretamente ligada ao défice de precipitação, quando ocorre precipitação abaixo do que é normal.

Além do índice de seca, o Boletim Climatológico do IPMA indica também que o mês de abril em Portugal continental foi quente e muito chuvoso.

O valor médio da temperatura máxima do ar (18,56 graus Celsius) foi superior ao normal, segundo o IPMA.

Também o valor médio da temperatura mínima do ar (9,26 graus) foi superior ao normal, sendo o 5.º valor mais alto desde 2000 (mais alto em 2011 com 11,12 graus) e o 14.º desde 1931.

O menor valor da temperatura mínima no continente foi registado no dia 01 de abril nas Penhas Douradas (-4,1 graus) e o maior valor da máxima em Alvega (26,7 graus), no distrito de Santarém, no dia 24 de abril.

No que diz respeito à precipitação, o IPMA adianta que os valores foram superiores ao normal em todo o território e em particular nas regiões do Centro e Alto Alentejo.

No final do mês de abril, verificou-se, em relação ao final de março um aumento dos valores de percentagem de água no solo em todo o território e em particular nas regiões do norte e centro.

Em alguns locais do Baixo Alentejo e Algarve ainda se verificaram valores inferiores a 40%.

O IPMA destaca também que o “estado do tempo no mês de abril foi essencialmente caracterizado por várias regiões depressionárias, com expressão em altitude, às quais estavam associados sistemas frontais ou linhas de instabilidade”.

Deste modo, ocorreram períodos de chuva fraca a moderada, precipitação em regime de aguaceiros, que foram por vezes fortes e de granizo a partir de dia 11, e acompanhados de trovoada, neblina ou nevoeiros, vento por vezes forte e subida gradual da temperatura.

O IPMA adianta ainda que foi registada a formação de um tornado na região de Loulé (Nave Barão), no dia 15 de abril.

Pub