Pub

O deputado que o PS perdeu «transferiu-se» para a CDU que conseguiu eleger assim um representante eleito pelo Algarve no Parlamento, o que não acontecia há 20 anos.

O CDS e o Bloco de Esquerda (BE) mantiveram os deputados eleitos em 2009. Este novo cenário político significa que o Algarve passou assim a estar representado no Parlamento por todas as forças partidárias que ali têm assento.

O PSD arrecadou 37,03 por cento da votação no Algarve, conseguindo 74.491 dos votos nas 84 freguesias da região. Os quatro deputados sociais-democratas que vão ter assento parlamentar são Mendes Bota, Pedro Roque, Elsa Cordeiro e Cristóvão Norte.

Com este resultado, o PSD passa a ser a primeira força política da região, enquanto que o PS perde mais de 20 mil votos em relação a 2009, elegendo apenas João Soares e Miguel Freitas. O PS tinha obtido, em 2009, 31,86 por cento dos votos (64.271 votos). Este ano teve 22,95 por cento (46.174 votos).

A CDU foi a segunda força política a sair vitoriosa, no Algarve, das eleições legislativas de ontem, conseguindo eleger um deputado pelo círculo de Faro. Nestas eleições o PCP obteve 17.233 votos no distrito (8,57 por cento dos votos), contra 15.638 nas legislativas de 2009.

O CDS-PP manteve o único mandato obtido nas eleições de 2009 – o que nunca tinha acontecido em listas próprias, apenas com a Aliança Democrática (AD) – mas o número de votos aumentou no Algarve de 21.596 (10,71 por cento) naquele ano para 25.561 (12,71 por cento) nestas eleições.

O Bloco de Esquerda (BE), que foi a terceira força política a obter melhores resultados nas eleições de 2009, não perdeu a única deputada algarvia, Cecília Honório, que havia conseguido eleger, mas passou a ser a quinta força política da região, perdendo quase metade dos eleitores. Em 2009, o BE obteve 15,38 por cento dos votos (31.017 votos), enquanto que o resultado desta noite 8,16 por cento (16.414 votos).

O cabeça de lista de PSD pelo círculo de Faro, Mendes Bota, considera que as legislativas de ontem são “históricas” no Algarve por ser a primeira vez que o PSD as vence com um cabeça de lista algarvio.

Paulo Sá, deputado da CDU eleito pelo círculo de Faro, sublinhou à Lusa que os resultados, que classificou como "muito bons", irão permitir ao partido reforçar a sua posição no Algarve.

O deputado do CDS-PP reeleito pelo círculo de Faro, Artur Rêgo, admitiu à Lusa sentir um “amargo de boca” pelo facto de o partido não ter conseguido alcançar um segundo deputado pelo distrito.

Já o deputado socialista João Soares, ontem reeleito, considerou "injusto" o resultado obtido pelo partido no Algarve e a deputada do BE, também ontem reeleita pelo círculo de Faro, Cecília Honório, classificou os resultados no Algarve de "francamente positivos" dentro do quadro nacional, apesar da "grande quebra" em relação às eleições de 2009.

Outra surpresa no Algarve, registou-se ao nível dos pequenos partidos. O recém-criado PAN – Partido pelos Animais e pela Natureza, pela primeira vez presente ao eleitorado, conseguiu captar a maior votação entre os partidos sem assento parlamentar. O PAN, com 1,64 por cento (3.304 votos), ultrapassou mesmo o PCTP-MRPP, primeiro entre os pequenos em 2009, que este ano obteve apenas 1,57 por cento (3.155 votos).

Redação com Lusa

Deputados eleitos pelo círculo de Faro:
PSD:  
José
Mendes
Bota
António
Pedro Roque
da Visitação Oliveira
Elsa Maria
Simas
Cordeiro
Cristóvão
Duarte Nunes
Guerreiro Norte
   
PS:  
João
Barroso
Soares
Miguel João
Pisoeiro
de Freitas
   
CDS:  
Artur José
Gomes
Rego
   
CDU:  
Paulo Miguel
de Barros
Seara de Sá
   
BE:  
Maria Cecília
Vicente Duarte
Honório

Totais Algarve


Albufeira:
 
Alcoutim:
 
Aljezur:
 
Castro Marim:
 
Faro:
 
Lagoa:
 
Lagos:
 
Loulé:
 
Monchique:
 
Olhão:
 
Portimão:
 
São Brás de Alportel:
 
Silves:
 
Tavira:
 
Vila do Bispo:
 
Vila Real de Santo António:

Pub