Pub

Machado, 125.º na hierarquia mundial, necessitou de uma hora e 24 minutos para superar Gil, 81.º no “ranking” ATP, com os parciais de 6-4 e 6-1.

Os dois portugueses defrontaram-se pela quinta vez no circuito profissional, duas das quais em provas de categoria “Futures” da ITF (Federação Internacional de Ténis), e Rui Machado averbou o primeiro triunfo sobre Gil.

O anterior embate entre os dois tenistas do Centro Escola de Ténis de Oeiras (CETO), treinados por João Cunha e Silva, acontecera em maio, nos quartos de final do Estoril Open.

Gil levou a melhor pelos parciais de 4-6, 7-6 (7-1) e 6-3 e avançou para as meias finais, num “Centralito” a abarrotar, e depois para a final do Estoril Open, a primeira de um tenista português na prova do Jamor e num torneio ATP, acabando por perder com o espanhol Albert Montañes.

Em São Marino, Frederico Gil admitiu que não conseguiu “manter os níveis de concentração muito altos” no embate com Rui Machado, confessando ter atuado com pouca agressividade.

“Não pude soltar-me como queria, mas há que dar muito mérito ao Rui, que jogou muito bem e manteve uma intensidade muito alta”, referiu Gil.

Gil reconheceu ainda as dificuldades de jogar com um compatriota e com um parceiro de treino, sublinhando que “é sempre bastante diferente defrontar outro português”, pelo que notou que “é preciso saber gerir a situação”.

“Mas, hoje, não estive nos meus melhores dias. Tive muitos altos e baixos e, dadas as minhas características, preciso de estar concentrado em todos os pontos”, afirmou.

Rui Machado vai jogar com o vencedor do encontro que opõe o holandês Robin Haase ao argentino Maximo Gonzalez.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa
Pub