Breves
Inicio | Igreja | As novas religiosas que vieram este ano trabalhar para o Algarve

As novas religiosas que vieram este ano trabalhar para o Algarve

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Em cada ano pastoral há sempre renovação nas comunidades religiosas presentes nas diversas dioceses. Neste ano de 2018/2019, na Igreja Católica algarvia cinco novas colaboradoras consagradas que vieram ajudar no trabalho pastoral, sendo que duas delas já tinham trabalhado no Algarve.

Irmã Maria de Lurdes Costa

Uma das regressadas à diocese algarvia é a irmã Maria de Lurdes da Costa, do Instituto das Irmãs de Santa Doroteia (doroteias), natural da Póvoa do Varzim, que já tinha estado a trabalhar em Lagos e Portimão. Missionária em Moçambique durante cerca de 30 anos, de onde regressou em setembro passado, aquela religiosa esteve 16 anos na sua última estadia de trabalho naquele país africano. A irmã Maria de Lurdes Costa, que agora veio integrar a comunidade algarvia em Loulé das irmãs doroteias, está a fazer catequese nas paróquias louletanas, mas é também ministra extraordinária da comunhão e visitadora de idosos.

Irmã Leonilde Silva

A outra regressada é a irmã Leonilde Silva, do Instituto das Religiosas do Sagrado Coração de Maria, que voltou à comunidade algarvia de Silves. A religiosa, natural de Leiria, foi durante muitos anos professora da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica em Silves, entre outros serviços na paróquia. Quando saiu do Algarve foi para o Porto, passado cinco anos transferiu-se para a sua cidade natal e depois foi para Fátima, de onde veio em setembro passado.

Irmã Maria Ancilla

Para a comunidade algarvia em Faro das Missionárias da Caridade, popularmente conhecidas como irmãs da Caridade, irmãs Teresa de Calcutá ou irmãs de Calcutá, veio a irmã Maria Ancilla, natural da Índia. Aquela religiosa iniciou o seu trabalho logo em maio, ainda no ano pastoral transato, e é atualmente a superiora da comunidade algarvia que acolhe pessoas carenciadas, algumas das quais doentes, sem quaisquer meios de subsistência.

Irmã Rute Anjos

Para a comunidade algarvia das Dominicanas de Santa Catarina de Sena, em Paderne, veio a irmã Rute dos Anjos, natural de São Pedro do Rio Seco, no concelho de Almeida, distrito da Guarda. A consagrada veio de Fátima, de onde chegou no dia 20 de setembro passado, e está a colaborar em todos os serviços que aquelas religiosas desenvolvem na paróquia de Paderne.

Irmã Marina Moreira

Para a comunidade algarvia em Faro das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus chegou no final de agosto a irmã Marina Moreira. A religiosa, natural de Cabo Verde, estava no Porto e é catequista na paróquia da Sé de Faro. Para além disso, trabalha na pastoral sociocaritativa da paróquia de São Pedro de Faro.

Irmã Aurora Agostinho

Na Diocese do Algarve esteve também nos dois primeiros meses deste ano pastoral a irmã Aurora Agostinho, noviça também das Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus. A realizar noviciado (período de iniciação à vida religiosa, durante o qual a noviça faz o discernimento da sua vocação, passa a conhecer melhor o carisma e o modo de viver) em Fátima, a irmã Aurora Agostinho, natural de Moçambique, esteve em estágio durante quatro meses, sendo que os dois primeiros foram realizados na Diocese da Guarda e os restantes na diocese algarvia.

Verifique também

Bispo do Algarve faz novas nomeações com apelo a uma “pastoral de convergência”

A “proximidade da festa litúrgica da dedicação” da catedral, que se celebra amanhã, 19 de …