Pub

Em comunicado, a AAUALG alega que o pagamento das bolsas de fevereiro aos estudantes bolseiros ainda não foram pagas e que isso está a transformar-se “num cenário revoltante e deplorável”.

A Associação Académica refere, também, que os estudantes estão a questionar a “capacidade e o sentido de responsabilidade social dos governantes portugueses”.

O alegado atraso no pagamento das bolsas de fevereiro aos estudantes da Universidade do Algarve leva ainda a AAUALG a pedir um esclarecimento ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

“O pedido de esclarecimento pretende averiguar mais uma vez o que se está a passar neste momento quanto às bolsas e solicitar ao Ministério um compromisso definitivo para a célere resolução do grave problema, que afeta em particular os estudantes com maiores dificuldades socioeconómicas”, adianta a nota de imprensa.

Em declaraçóes à agência Lusa, fonte do gabinete de imprensa da Reitoria da Universidade do Algarve assegurou que as bolsas têm sido pagas assiduamente e afirmou desconhecer atraso nos pagamentos de fevereiro.

A mesma fonte do gabinete do reitor adiantou que, após questionarem a Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) sobre o alegado atraso do pagamento das bolsas, foi dito que "não havia atrasos".

Os serviços da Ação Social da Universidade do Algarve não pagam bolsas, o pagamento das mesmas é da responsabilidade da DGES, explicou ainda o assessor do reitor à Lusa, acrescentando que a Ação Social dá o aval das bolsas segundo os requisitos da lei, mas quem faz o pagamento direto aos estudantes bolseiros é a DGES.

A Lusa tentou obter um comentário do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior sobre a posição da Associação Académica da Universidade do Algarve, mas tal não foi possível em tempo útil.

Lusa

Pub