Inicio | Política | Autarca de Olhão acusa Polis de incumprimento de plano de investimentos

Autarca de Olhão acusa Polis de incumprimento de plano de investimentos

António Pina, presidente da Câmara Municipal de Olhão
António Pina, presidente da Câmara Municipal de Olhão

O presidente da Câmara de Olhão congratulou-se hoje com o avanço das dragagens na Ria Formosa em 2015, mas acusou a Sociedade Polis de não estar a cumprir o plano de investimentos previstos para o concelho.

O ministro do Ambiente anunciou, na quarta-feira, o investimento de oito milhões de euros na execução de dragagens na Ria Formosa (nos concelhos de Faro e Olhão), na requalificação do acesso à Praia de Faro e na construção de um parque de estacionamento exterior à praia.

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara de Olhão (PS), António Pina, lamentou o facto de ainda não terem avançado os investimentos previstos na requalificação da Ilha da Armona, da Praia dos Cavacos e da zona ribeirinha da cidade, sublinhando que pondera avançar com uma ação judicial contra a Sociedade Polis Litoral Ria Formosa.

Segundo António Pina, não houve praticamente investimento da Polis em Olhão, o que poderá motivar uma ação judicial fundamentada no incumprimento do plano de trabalhos a realizar pela sociedade no concelho, embora a hipótese esteja ainda a ser estudada.

Contudo, o autarca socialista mostrou-se satisfeito com o anunciado avanço das dragagens na Ria Formosa, observando que “não faz sentido gastar cinco milhões de euros em derrubar casas, porque essa não é uma prioridade”, em termos ambientais, ao contrário das dragagens, reivindicadas há muitos anos por autarcas e profissionais da pesca.

“Ao fim destes anos todos, depois de a Polis ter gastado dinheiro desnecessariamente, pela primeira vez investe em algo que melhora ambientalmente este espaço”, considerou.

Quanto ao problema da poluição ambiental causada pela descarga de esgotos na Ria Formosa, no concelho de Olhão, António Pina revelou que está prestes a ser lançado o concurso para a construção de uma nova Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) entre Faro e Olhão.

Segundo o autarca, o Ministério do Ambiente terá dado indicações à Águas do Algarve para “avançar prioritariamente” com aquela empreitada, projeto que já obteve a Declaração de Impacte Ambiental (DIA).

Em comunicado divulgado hoje, a Câmara de Faro informou que está já em fase de concurso a intervenção das dragagens do canal Faro-Olhão, cuja empreitada se deverá desenvolver entre março e agosto de 2015.

A autarquia acrescentou que, até ao final deste mês, deverão também ser lançados os concursos para as dragagens da Barrinha da Península do Ancão (Ilha de Faro) e Esteiro do Ramalhete, ações que se prevê que decorram entre maio e setembro.

Estas intervenções, que rondam os 4,8 milhões de euros, somadas às obras do parque de estacionamento exterior à praia e à requalificação do acesso viário (1,7 milhões) resultam num investimento total de 6,5 milhões de euros no concelho de Faro.

Estas duas empreitadas deverão ser executadas entre maio e dezembro de 2015, ficando de fora, para já, a empreitada da nova ponte de ligação à Praia de Faro.

Verifique também

Parlamento louva Universidade do Algarve pelos 40 anos de existência

A Assembleia da República aprovou ontem dois votos de louvor apresentados por PSD e por …