Pub

Em declarações á Lusa, Paulo Neves referiu que no final de 2009, quando terminou o mandato do socialista José Apolinário e foi eleito para a presidência da Câmara de Faro o social-democrata Macário Correia, a dívida da autarquia a fornecedores e á banca representava 67 milhões de euros

“Concluímos que em relação há quatro anos, a Câmara Municipal de Faro vai terminar este mandato com pelo menos cinco milhões de euros de dívidas acima do que a Câmara recebeu em 2009”, afirmou, sublinhando que a dívida de 72 milhões de euros não inclui os 6,8 milhões de euros transferidos este ano, mas que só serão assumidos no orçamento de 2014

O candidato socialista á autarquia falava hoje á agência Lusa á margem de uma visita que fez á Câmara Municipal, durante a qual se reuniu com o seu presidente, que apresentou ao socialista os documentos contabilísticos que já tinham sido solicitados por aquela candidatura

“No orçamento de 2014 teremos dívidas deste ano que não foram assumidas este ano porque o orçamento já não comportava mais, considerando as receitas”, explicou, sublinhando tratarem-se de dívidas de serviços que foram fornecidos á Câmara

De acordo com o candidato, “adivinha-se uma contenda judicial apertada com estes fornecedores”, uma vez que essas dívidas, na ordem dos 6,8 milhões de euros, não mereceram o visto do Tribunal de Contas

O socialista criticou ainda que, apesar de o atual executivo ter aumentado a dívida, tenha reduzido, nos últimos quatro anos, em 3,5 milhões de euros, as transferências para as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) e juntas de freguesia do concelho

“Não vou fazer daqui [da questão das dívidas] um cavalo de batalha, porque estou do lado da solução”, concluiu, acusando o candidato do PSD, Rogério Bacalhau, vice-presidente do município e responsável pelo pelouro das Finanças, de mentir ao afirmar que a autarquia baixou a dívida em 13 milhões de euros

Ao município de Faro concorrem, além de Paulo Neves, Rogério Bacalhau (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), o independente José Vitorino, António Mendonça (CDU) e Vítor Silva (PPV – Portugal Pró-Vida)

As eleições autárquicas realizam-se a 29 de setembro

Pub