Pub

Em declarações á Lusa, Paulo Neves referiu que o desemprego oficial em Faro cresceu 66% entre 2009 e 2013, passando a representar, só por si, 16% do desemprego oficial na região, de acordo com dados que o candidato obteve junto da delegação de Faro do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP)

O candidato, que fez uma ronda pela Universidade do Algarve (UAlg) e pelo centro de formação profissional do Areal Gordo, sublinhou que o número de pessoas inscritas no centro de emprego de Faro cresceu nesse período o dobro relativamente a Portimão (que cresceu 31%), concelho fortemente turístico e que até agora liderava os números do desemprego na região

“é preocupante que o Governo e a Câmara de Faro não tenham tido a influência ou a vontade de criar medidas específicas para apoiar a capital do Algarve”, afirmou, sublinhando que o desemprego de longa duração, em 2013, representa cerca de 42% do total do desemprego oficial, quando em 2012 representava 31%

O socialista criticou a atitude de “desistência” e “inconformismo” do Governo e também da Câmara de Faro, que, referiu, se escudou no facto de não ter dinheiro para não procurar soluções para o desemprego

Após a visita que fez ao centro de formação profissional do Areal Gordo, nos arredores de Faro, Paulo Neves mostrou-se surpreendido com a quantidade de formandos entre os 45 e os 55 anos e preocupado com as suas perspetivas de virem a encontrar emprego
“Temos que ter muito cuidado pela situação de desagregação social e familiar das famílias destas pessoas, que são fundamentais como sustentáculo dos respetivos núcleos familiares”, concluiu

Ao município de Faro concorrem, além de Paulo Neves, Rogério Bacalhau (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), o independente José Vitorino, António Mendonça (CDU), Vítor Ruivo (BE) e Vítor Silva (PPV – Portugal Pró-Vida)

As eleições autárquicas realizam-se a 29 de setembro

Pub