Pub

“Já sabemos que este executivo [de Macário Correia] passou para o próximo ano uma coisa, que eu não sabia que se podia fazer em contabilidade pública, que é comprometer a despesa este ano e meter no orçamento do próximo ano. Isto não me parece nada normal”, disse Paulo Neves, durante o jantar comício do PS em Faro que contou com a participação do Secretário-geral do partido, António José Seguro, na quarta-feira á noite, no âmbito da campanha eleitoral para as autárquicas de 29 de setembro

Segundo o candidato socialista, essa contabilidade pública vai colocar “mais sete milhões de euros” no orçamento de 2013, mas que já foram gastos pela Câmara de Faro este ano com o executivo do PSD

“São mais sete milhões de euros que nós vamos ficar a dever no próximo ano, mas que a despesa foi executada este ano. Não me parece normal”, reiterou o candidato do PS

Durante o discurso, Paulo Neves lamentou que haja 23% das ruas da Baixa de Faro com os prédios devolutos

“Vinte e três por cento das ruas que estão aqui a circundar-nos estão com os prédios devolutos, estão com as casas vazias, casas a degradar-se, as pessoas vão fechando as janelas, vão acimentando as portas para evitar que as casas sejam vandalizadas e elas vão-se deteriorando”, descreveu

“Faro tem aquilo que um outro Algarve turístico – de Portimão, Loulé, Albufeira – não tem, nós temos história, nós temos massa populacional, nós temos gente o ano inteiro que faz vida em Faro e precisa de ter um futuro”, concluiu

Pub