Pub

“A perspetiva da revisão do PDM não é a de alargar o perímetro urbano, é fazer com que a regeneração se faça com base na atual malha urbana”, afirmou Paulo Neves á Lusa, sublinhando que a cidade pode crescer por regeneração e não por expansão

O candidato socialista á Câmara de Faro falava hoje á Lusa á margem de uma visita que fez á Comissão de Coordenação Regional e Desenvolvimento (CCDR) do Algarve, durante a qual se reuniu com o seu presidente

Paulo Neves defendeu que o crescimento de Faro dentro da malha atual é particularmente importante quando a cidade existente “está a morrer”, sublinhando que as verbas previstas ao abrigo dos fundos comunitários entre 2014-2020 podem ser uma oportunidade para regenerar a cidade

O candidato quer ainda promover a instalação de serviços do Estado nos edifícios públicos que se encontram fechados na Baixa de Faro, transferindo também para ali serviços de atendimento municipal

Na zona industrial da cidade, o candidato quer criar condições para que as empresas que ali detêm terrenos promovam um complexo residencial para aposentados dos seus países, no caso das multinacionais petrolíferas

Segundo Paulo Neves, a ideia é manter ali as empresas existentes e reconverter toda aquela zona, próxima do porto comercial e contígua ao bairro da Horta da Areia, onde vivem dezenas de famílias em situação precária

Ao município de Faro concorrem, além de Paulo Neves, Rogério Bacalhau (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), o independente José Vitorino, António Mendonça (CDU) e Vítor Silva (PPV – Partido Pró-Vida)

As eleições autárquicas decorrem a 29 de setembro

Pub