Pub

O candidato socialista, Paulo Neves, acusou na sexta-feira o atual executivo (PSD), do qual Rogério Bacalhau é vice presidente, de ter aumentado a dívida da autarquia de 68 para 72 milhões de euros, mais cinco milhões do que em 2009, quando terminou o mandato do socialista José Apolinário

“Os números que nós temos aprovados em conta de gerência dizem exatamente o contrário. Não é pelo facto de se dizer muitas vezes uma mentira que ela se torna verdade”, afirmou Rogério Bacalhau á Lusa, sublinhando que a dívida do município no final de 2012 era de 62,8 milhões e não de 72

O social-democrata acrescentou que este montante representa exclusivamente a dívida da autarquia a fornecedores e á banca, salientando que se a este valor forem acrescentadas as dívidas das empresas municipais, o montante global era, no final de 2012, de 81,8 milhões de euros

“Em qualquer dos casos a dívida diminuiu, pagou-se tudo aquilo que construímos. Todas as obras que fizemos foram pagas”, afirmou o candidato, dando como exemplo as escolas da Lejana, Bordeira e Vale de Carneiros

Sublinhando que a autarquia tem cumprido “escrupulosamente” a lei, que impede a contração de dívidas quando não existem fundos disponíveis, Rogério Bacalhau frisou que a dívida atual deverá até ser inferior a 62,8 milhões de euros, já que esse era o valor relativo ao fecho do ano de 2012

O social-democrata explicou ainda que do final de 2009, quando o atual executivo tomou posse, para 2010, a dívida do município aumentou de 67,5 para 71,7 milhões de euros, devido a faturas no valor de 3,5 milhões de euros “encontradas em caixas” e que não tinham sido contabilizadas

Ao município de Faro concorrem, além de Rogério Bacalhau, pela coligação “Juntos por Faro” (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), o socialista Paulo Neves, o independente José Vitorino, António Mendonça (CDU) e Vítor Silva (PPV – Portugal Pró-Vida)

As eleições autárquicas realizam-se a 29 de setembro

Pub