Pub

“Não há condições para ter um parque de campismo na praia [de Faro]. Está pensado um parque de campismo nas Gambelas, porque é preciso esgotos, água, é preciso espaço e a praia não tem condições para isso”, disse á Lusa Rogério Bacalhau, numa entrevista á margem da apresentação das propostas da candidatura do PSD á Câmara de Faro que decorreu ontem á noite no Museu Municipal de Faro

O candidato social-democrata explicou que nos dias de hoje ter um parque de campismo implica “ter condições para isso”

“O parque de campismo da Praia de Faro, a única coisa que tem de parque de campismo é o nome”, argumentou o candidato do PSD, lembrando que no plano Polis Litoral Ria Formosa, não está previsto nenhum parque de campismo

“Em tempos já foi um parque de campismo, mas agora não é, nem pode vir a sê-lo, porque não há condições de o legalizar como parque de campismo”, reiterou

Rogério Bacalhau prometeu, por outro lado, que se ganhar o mandato nas autárquicas de 29 de setembro quer limpar o bairro Horta da Areia, onde vivem 60 famílias em condições de habitabilidade “degradantes”.

“Iremos tentar ao longo do mandato acabar com aquela iniquidade que ali está. Eu acho que aquele bairro só existe, porque fica do outro lado da linha de caminho-de-ferro, não tem visibilidade para a cidade, e portanto a cidade tem-se esquecido daquele bairro”

O bairro da Horta da Areia foi criado de forma provisória no pós 25 de abril de 1974, e ali foram instaladas famílias que vieram do ultramar, mas o bairro ainda existe e com “condições de habitabilidade degradantes”, observa o candidato

Sobre o parque habitacional de habitação social, Rogério Bacalhau referiu que há cerca de 500 fogos na cidade onde as pessoas precisam de ser apoiadas e prometeu dar ajuda ao nível “rendas excessivas, tendo em conta a situação do país e do concelho”, mas também propôs, ao nível das instalações, que é preciso “fazer obras” e “dar melhores condições de habitabilidade”

Outra das linhas mestras das propostas da candidatura de Rogério Bacalhau é a “ação social” e o desejo de dar continuidade ao trabalho com as instituições de solidariedade da cidade

“Temos que continuar a trabalhar com a multiplicidade de instituições, que fazem um trabalho meritório, junto das populações, a todos os níveis – alimentar, roupa, habitacional – e até “implementar um apoio com maior dimensão”

Além do social-democrata, que concorre pela coligação “Juntos por Faro” (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), estão na corrida para a Câmara de Faro o socialista Paulo Neves, o independente José Vitorino, António Mendonça (CDU), Vítor Ruivo (BE) e Vítor Silva (PPV – Portugal Pró Vida)

Lusa

Pub