Pub

Num curto comunicado, a advogada Ana Vidigal refere apenas que "o processo de preparação da candidatura à Câmara Municipal de Albufeira, enquanto independente apoiada pelo CDS-PP, chegou ao seu termo", mas não explica o motivo que esteve na origem da rutura.

A Lusa tentou obter esclarecimentos de Ana Vidigal mas após vários dias ainda não obteve resposta.

Francisco Paulino, antigo presidente da distrital e membro da Comissão Política nacional do CDS-PP, explicou à agência Lusa que não foi o partido, que em Albufeira lidera uma coligação com o MPT e o PPM, a romper com Ana Vidigal, mas sim a advogada que se afastou da coligação.

Sobre os motivos que levaram ao afastamento entre Ana Vidigal e o CDS-PP, Francisco Paulino respondeu que deve ser a ex-candidata independente do partido a explicá-los.

Francisco Paulino referiu que o partido irá “brevemente apresentar o cabeça de lista da coligação” à câmara de Albufeira.

O CDS-PP encontra-se neste momento sem comissão política distrital de Faro, depois de o último processo eleitoral, realizado a 01 de junho, ter sido suspenso para depois das eleições autárquicas de 29 de setembro pelo secretário-geral do partido, devido a um empate registado entre as duas listas concorrentes e acusações de irregularidades de parte a parte.

Após o processo eleitoral ser suspenso, as estruturas nacionais do CDS-PP nomearam um delegado regional do partido, José Pedro Caçorino, que é também o cabeça de lista do partido à câmara de Portimão.

Relativamente a Ana Vidigal, a candidata explicou ainda em comunicado que: "dadas as vicissitudes várias que tornaram inviável o processo em curso, a decisão de cisão e de prosseguirmos com uma candidatura totalmente independente foi tomada por todo o grupo de trabalho, constituído todo ele, por pessoas de variadíssimos quadrantes, o que muito me honrou.

Ana Vidigal tem já como adversários conhecidos Carlos Silva e Sousa, advogado e agricultor, que vai encabeçar a lista do PSD, partido que tem estado à frente do município, assim como Fernando Anastácio, que é o candidato do PS à autarquia algarvia.

Nas últimas eleições autárquicas, em 2009, o PSD obteve seis dos sete mandatos em disputa no município, enquanto o PS ficou com o outro.

Lusa

Pub