Pub

"É uma candidatura para mudar Portimão, responder à emergência social e resgatar a democracia local", afirmou João Vasconcelos, acrescentando que "o objetivo é pôr fim ao poder absoluto do Partido Socialista há 37 anos em Portimão".

Segundo João Vasconcelos, a candidatura "molda-se pela luta e pela esperança, como pela rutura com o ‘status quo’ existente no concelho e, ao mesmo tempo, pretende contribuir para a derrota do Governo às ordens da ‘troika’ que pratica uma política devastadora no país e no concelho".

João Vasconcelos, de 57 anos, professor de história, é coordenador da concelhia de Portimão, membro da mesa nacional e da comissão coordenadora distrital do BE, e foi um dos impulsionadores da Comissão de Utentes da Via do Infante, movimento cívico de contestação às portagens na antiga Scut (autoestrada sem custos para o utilizador) do Algarve (A22).

O candidato autárquico tem já como adversários conhecidos na corrida à Câmara de Portimão, a professora Isilda Gomes (PS), os empresários José Pedro Caçorino (CDS-PP) e Pedro Xavier (PSD).

O atual presidente da Câmara, Manuel da Luz (PS), está fora da corrida autárquica devido à lei de limitação de mandatos.

Nas últimas eleições autárquicas, em 2009, o PS obteve 55,49% dos votos (cinco mandatos) e o PSD 25,13% (dois mandatos).

O BE alcançou 6,31% dos votos, o PCP/PEV (5,93%) e o CDS-PP (4,31%), partidos que não conseguiram obter quaisquer mandatos.

Lusa

Pub