Pub

“Temos de negociar o fim dos parquímetros para conseguir eliminar o maior número possível. Porque sem isso não há plano nenhum para a baixa que resulte”, defendeu o candidato, em declarações á agência Lusa

Desde o ano passado que existem 954 novos lugares de estacionamento pagos nas zonas centrais de Faro, ao abrigo de uma deliberação da autarquia (PSD), elevando para cerca de dois mil o número de lugares tarifados á superfície da capital algarvia

O candidato, que concorre como independente mas que já foi presidente da autarquia pelo PSD, falava á Lusa após uma ronda que fez com a sua comitiva pela autarquia e pelas empresas municipais e que terminou hoje

José Vitorino alegou que os lugares de estacionamento pagos não estão a ter uma ocupação plena e que, por isso, não deverão ser lucrativos nem para a autarquia, nem para a empresa concessionária

“A quem é que isso serve? Serve para matar o comércio, os serviços e a restauração. Mas não serve nem o concessionário, nem a Câmara”, sustentou, criticando também a proliferação de pinos e outros impeditivos ao estacionamento, que estão a transformar a cidade numa “fortaleza militar”, afastando residentes e visitantes

O candidato criticou também o excesso de grandes superfícies comerciais no concelho, outro dos fatores que aponta como sendo dos responsáveis pela decadência do comércio tradicional

José Vitorino lamentou, sobretudo, que a maior parte dos centros comerciais existentes e projetados para Faro estejam situados na periferia da cidade, afastando as pessoas da baixa

O candidato independente cumpriu um mandato em Faro pelo PSD entre 2001 e 2005 e é apoiado pela Aliança Cívica “Salvar Faro, com Coração”

Os seus adversários são Rogério Bacalhau (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), Paulo Neves (PS), António Mendonça (CDU), Vítor Ruivo (BE) e Vítor Silva (PPV)

Pub