Pub

“O caminho-de-ferro teria de se retirar da frente da cidade desde a doca até ao Bom João e os passageiros apanhavam um transbordo de camioneta, como acontece nas grandes cidades, como Paris, Lisboa ou Londres”, disse o candidato do PPV, Vítor Silva, á agência Lusa

Segundo o cabeça-de-lista do PPV, a linha de caminho-de-ferro em frente á zona nobre da capital algarvia “estrangula a cidade” e afasta-a da Ria Formosa. A solução para esbater essa fronteira passaria pela implementação de um transbordo entre estações de comboio feita de autocarro ou táxi

“As pessoas chegam a uma estação e para irem para outra ou vão de táxi ou vão de autocarro”, disse, exemplificando com o caso da cidade de Lisboa, onde as pessoas que chegam de avião e querem vir para Faro “têm de fazer um transbordo de autocarro para apanhar outra estação”

Segundo o candidato, aquela solução do transbordo com recurso a outros meios de transporte “libertaria a cidade” e a “frente ribeirinha passaria a ser um espaço onde se poderia fazer um aproveitamento excecional de investimentos”

O plano de Vítor Silva, e que não seria “muito caro”, segundo o próprio, visa também abrir o espaço da estação de caminhos-de-ferro desde o Teatro Municipal de Faro até á doca de Faro, para proporcionar a criação de uma “área de trabalho, lazer e de diversão”

Numa outra fase podia criar-se entre as salinas até ao cais novo “um passeio ribeirinho, com pontos de tratamentos de barcos, como em Olhão, e implementar casas típicas de madeira, serviços de restaurantes e náutica”

Além de Vítor Silva, que se candidata pelo PPV, estão na corrida para a Câmara de Faro o social-democrata Rogério Bacalhau (PSD/CDS-PP/MPT/PPM), Paulo Neves (PS), o independente José Vitorino, António Mendonça (CDU) e Vítor Ruivo (BE)

As eleições estão marcadas para o próximo domingo, dia 29

Lusa

Pub