Pub

Rui André, de 38 anos, vai defrontar a socialista Graça Batalim, professora aposentada de 59 anos, vereadora sem pelouros atribuídos na Câmara de Monchique desde 2009, quando foi eleita como independente na lista do PS.

O social-democrata, um dos mais jovens autarcas a ser eleitos no Algarve, conseguiu em 2009 derrotar o mais antigo presidente de uma autarquia na região, que presidia ao município desde 1983.

Numa declaração de intenções enviada à imprensa, Rui André fez uma síntese do seu primeiro mandato em dez pontos, assumindo que o seu projeto eleitoral teve sempre em vista uma execução de 12 anos.

O presidente da autarquia sublinha ter conseguido reduzir a dívida do município para quase metade, sendo atualmente a dívida à banca de 6,3 milhões de euros e a curto prazo de cerca de um milhão.

Segundo Rui André, quando chegou à Câmara, a autarquia estava "sempre na lista dos piores pagadores" e tinha uma dívida de cerca de 14 milhões de euros, sendo que desses, 3,6 milhões representavam dívida contraída em 2009 a fornecedores.

"Foi com muita determinação que as contas deste município nos conduziram a uma situação bem mais favorável", refere o autarca, sublinhando que foram três anos de "muito trabalho e esforço" para construir bases sólidas para o concelho.

A reorganização dos serviços municipais e a introdução de novos modelos de gestão e regulamentos foram outras das mudanças introduzidas pelo autarca, que diz ter reduzido em um terço o número de divisões camarárias, no final de 2010.

Rui André adianta que no final de 2009 não existia nenhuma obra ou projeto em curso que tivesse sido aprovado ou candidatado a fundos comunitários e que, atualmente, existem mais de 8 milhões de euros em projetos apresentados e aprovados.

"O próximo mandato será de consolidação desta dinâmica, de colher os frutos das sementes agora lançadas, mas será também de aposta no debelar de alguns problemas que ganharam maior dimensão nos últimos tempos, como o desemprego", sublinha.

Lusa

Pub